Como gerar banco de dados com o slocate (Secure Locate) no GNU/Linux!

Como gerar bando de dados com o slocate (Secure Locate) no GNU/Linux!

Descrição e recomendações de uso para o comando slocate, utilizado para gerar um banco de dados com a localização dos arquivos e diretórios no sistema, facilitando desta forma a recuperação de forma rápida e eficiente de qualquer componente do sistema de arquivos. Adicionalmente, e mais importante, o comando também armazena as permissões dos arquivos e propriedades, de forma que os usuários vejam apenas os arquivos a que possuem acesso.

Sistemas Linux possuem uma excelente ferramenta para nos ajudar na localização de arquivos na estrutura de diretórios, o comando slocate. O comando slocate  cria um banco de dados contendo a listagem dos arquivos do sistema e sua localização na estrutura de diretórios. O banco de dados criado pelo comando slocate fica localizado no diretório /var/lib/slocate/ e chama-se slocate.db. 
O programa slocate  armazena também, além do nome, as permissões de leitura e propriedade dos arquivos de maneira a garantir que ninguém obtenha informações sobre arquivos aos quais não tenha acesso. Daí o seu nome, Secure Locate. 
O banco de dados é criado emitindo-se o comando:
[code type=”Copie e cole no terminal como ROOT”]slocate -u[/code]
Este comando irá gravar no arquivo /var/lib/slocate/slocate.db a localização e o nome de todos os arquivos e diretórios a partir do diretório raiz. Usuários comuns podem também criar seu índice personalizado. A restrição é que o banco de dados (slocate.db) deve ser gravado em um local ao qual o usuário tenha acesso, como por exemplo seu diretório de trabalho pessoal.
[code type=”Copie e cole no terminal e pressione ENTER”]slocate -U /home/usuario -o .slocate.db[/code]
O banco de dados pessoal foi chamado de .slocate.db. O nome inicia-se em “.” para que não conste nas listagens normais do diretório de trabalho. 
Ao invocar o comando slocate sem argumentos, o banco de dados pesquisado será o do sistema (/var/lib/slocate/slocate.db). Para consultar o banco de dados pessoal, utilizar a opção –database:
[code type=”Copie e cole no terminal e pressione ENTER”]slocate –database=.slocate.db tex[/code]
Forneceu-se no exemplo a instrução de se buscar por arquivos que contenham os caracteres tex em zeu nome. O tempo de resposta do comando slocate é excelente. Rarissimas vezes será necessária a criação de um banco de dados pessoal, a não ser que o sistema seja muito grande e contenha centenas de milhares de arquivos. Mesmo nestas condições a busca é bastante eficiente. 
Caso realmente se opte por um banco de dados individual, uma boa alternativa é criar um alias que especifique as diretivas apropriadas:
[code type=”Criando um alias”]alias Slocate=”slocate –database=$HOME/.slocate.db”[/code]
Desta forma, se especificarmos Slocate estaremos consultando o banco de dados pessoal. O comando slocate continuará fazendo uma busca na listagem completa. O acesso a este banco de dados é feito através do comando locate. 
Usá-lo é extremamente simples, basta fornecer como argumento a cadeia de caracteres que se deseja localizar no sistema. Finalmente, principalmente em sistemas bastante ativos, com uma grande taxa de modificação do sistema de arquivos, o mais indicado é automatizar a atualização do banco de dados slocate.db. As seguintes entradas na crontab realizam esta atualização uma vez a cada hora:
[code type=”Entrada do crontab”]0 * * * * slocate -u[/code]
Para usuários normais
[code type=”Entrada do crontab”]0 * * * * slocate -U /home/usuario -o .slocate.db[/code]

[ads-post]

você pode gostar também Mais do autor

Comentários