Software Proprietário abre Margem para Corrupção!

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Software Proprietário abre Margem para Corrupção

Todos nós sabemos que tudo que é comprado pelo órgão público é por meio de Editais, sendo de serviço ou de compra para ter concorrência entre empresas, e quem ganha é quem apresenta o menor preço, mas quando sai o edital de compra de software proprietário onde nos editais solicitam a compra de software específico nos quais somente as grandes empresas podem oferecer, os órgão públicos não adquirem software por especificações técnicas, mas sim software onde essas empresas podem vender e superfaturar o valor das licenças corporativas, tendo em vista que não tem empresas concorrentes, software como; Microsoft Office, Corel Draw, PhotoShop, AutoCad, entre outros que os órgão públicos adquirem.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Outra pergunta surge: Como pode haver corrupção na compra desses software?
Os software são necessários para que possamos trabalhar e esses software também são, porém todo ano as grandes empresas laçam novas versões e os órgão públicos compram e veem a oportunidade de levar uma bolada na aquisição dos mesmos, pois essas empresas já sabem disso e superfaturam o preço das licenças corporativas dos seus software, com isso eles podem dar para os gestores dos editais uma porcentagem e dividir essa porcentagem para terceiros. A desculpa para essa compra é sempre que todos usam esses software, pode até ser verdade mas a grande maioria usam esses software em sua casa pirata e como órgão público não pode utilizar nenhum software pirata devido o valor da multa chega as vezes ser 20 vezes o valor da licença, são obrigados a adquirir as licenças e com isso as empresas coloca as vezes o valor da licença 50 a 60 vezes acima gerando assim a corrupção que as vezes fica difícil de identificar mas não impossível de ser achado.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A pergunta é: Como evitar a corrupção na compra de software?
A resposta é simples, colocar nos editais o que o órgão precisa como as especificações técnicas e não o nome do software nos editais, que tira a concorrência de outros que atendem muito bem o órgão público e que podem ser substituídos por software livre, como a suíte de escritório Microsoft Office que pode ser substituído pelo LibreOffice que atende muito bem tanto no meio corporativo como em ambientes domésticos, o Corel Draw pode ser substituído pelo Inskscape, o PhotoShop pode ser substituído pelo Gimp, entre outros que atendem muito bem os órgãos públicos, o mundo corporativo e os ambientes domésticos e vemos cada dia os países europeus utilizando esses software para soluções tecnológicas, assim como outros países e que atendem muito bem o setor público e atendem bem seus cidadãos.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O software livre é uma opção para acabar com a corrupção na aquisição de software proprietário, e no mundo atual falar que não sabe usar e que o software não presta não é desculpa, pois hoje vivemos num mundo onde estamos conectados na internet e as informações estão todas nela, internet não é só Facebook, Yotube, Google e e-mail, tem muito mais informação do que somente isso.
Você também como cidadão tem que fiscalizar, ficar de olho nos editais e se achar algo errado ou suspeitar de algo denuncie, somente assim que podemos acabar com esse tipo de corrupção assim como nas outras áreas.

Artigo escrito por Henderson Matsuura Sanches

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Comentários