Xiitas no mundo do software livre!

Xiitas no mundo do software livre!
GNU? Linux? Ubuntu? GNU/LINUX? O debate sem fim sobre o que é um sistema operacional, o que define e como ele deve ser nomeado é muito frequente nos dias atuais. Quais são as relações entre o GNU, Linux e as várias distribuições Linux? E o Ubuntu neste caso particular como fica? Continue lendo se você deseja saber mais sobre todo o problema e todo o debate e porque eu acho que o Ubuntu é um sistema operacional, o Linux é um kernel e o GNU/LINUX é algo que provavelmente deve ser creditado, mas é totalmente irrelevante para a maioria dos usuários. Vou explicar o que é GNU, o que é Linux e o que é Ubuntu e porque todas as pessoas que defendem as ideias absurdas de Richard Stallman estão erradas e porque chamar uma distribuição Linux de GNU/Linux é algo absurdo.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O Linux é um kernel. O núcleo, o coração, o motor de um sistema operacional. O kernel cuida do gerenciamento de memória, gerenciamento de disco e também do gerenciamento de processos e mais uma infinidade de tarefas. Sem o kernel não existe um sistema operacional.
GNU é um conjunto de vários programas e utilitários que fazem do kernel algo utilizável para os usuários mais comuns. Trabalhando com arquivos e diretórios, comandos de execução, a compilação de outros programas e bibliotecas. Sem GNU não existe um sistema operacional? Erradamente muitas pessoas acham isso. Mas continuemos…
O Ubuntu é uma distribuição Linux, um conjunto de programas e utilitários que cuidam da instalação propriamente dita, configuração e gerenciamento do sistema operacional como um todo. Sem o Ubuntu não existe um sistema operacional.
O Ubuntu então pode ser definido como um sistema operacional. GNU não é um sistema operacional e o Linux não é uma sistema operacional e GNU/LINUX também não é um sistema operacional. Tenha em mente que GNU/LINUX deve ser pronunciado GNU-Slash-Linux.
Hoje em dia quase ninguém está usando apenas partes do projeto GNU e Linux nos seus sistemas operacionais. Há provavelmente um grupo pequeno de xiitas entusiastas que realmente constroem seus sistemas operacionais a partir do zero, mas sinceramente quantas pessoas você conhece que fazem realmente isso? Para instalar o seu sistema operacional você precisa de um instalador e você precisa de todos os tipos de ferramentas de gestão que são de grande valor e estão acrescentadas em uma distribuição Linux. É por isso que um sistema operacional é algo mais do que apenas um kernel com um monte de programas tirados do projeto GNU.
Existe um grupo pequeno de xiitas na comunidade de software livre tentando convencer a todos que um sistema operacional não deve ser chamado apenas de Linux, e que ao invés disso, deve sempre ser chamado de GNU/LINUX o que é simplesmente ridículo. Os softwares provenientes do projeto GNU devem ser creditados? Não há duvidas sobre isso. Deve-se dar créditos a quem os créditos são devidos. Mas tentar convencer as pessoas de que isso deva estar no nome de um sistema operacional não passa de uma grande bobagem. Mesmo que argumentem que a razão para isso seja a defesa nobre do software livre. Software live alias que já existia muito antes do Sr. Stallman pensar em fazer qualquer coisa na vida. Quem conhece a história sabe que antigamente os softwares não tinham o seu código fechado e eram passados de mãos em mãos sem licença alguma. O Sr. Stallman só resolveu fazer o seu querido projeto GNU, que alias nunca fica pronto, depois que tiraram o seu brinquedo de estimação chamado Unix. Verdade dita, e observando o funcionamento de toda distribuição Linux, não é correto de forma alguma tratá-la como algo proveniente diretamente do projeto GNU ou ainda atribuir à mesma a taxativa de GNU/LINUX. O mais correto nesse caso é mais significativo é chamar as distribuições pelo seu nome sejam elas Ubuntu, Fedora, Arch Linux, Debian Linux etc.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Esse grupo pequeno de xiitas que está encrustado no mundo do software livre são insignificantes mas fazem um barulho tremendo. Dizem defender a liberdade mas não defendem de forma alguma a democracia. Não respeitam opiniões contrárias as suas e eu realmente não tenho o menor respeito por tais pessoas. Frequentemente não é difícil ver esse grupo pequeno atacar e insultar pessoas que tem opiniões contrárias as suas e por fim isolar as mesmas tentado retirar delas qualquer meio em que possam participar da comunidade e dizer o que realmente pensam. Por isso estou definitivamente me afastando de qualquer grupo de software livre presente nas redes sociais (Google+ Facebook e Twitter). Isso não significa que nesses grupos não se encontrem pessoas de grande valor. Certamente existem pessoas de muito valor nesses grupos. Mas essa pequena corja de xiitas e paranoicos “Stallmistas” que estão incrustados em todos os grupos conseguem estragar qualquer tipo de harmonia presente em qualquer lugar. Mas voltando ao assunto inicial, continue lendo abaixo.
É por isso que o seu sistema operacional é considerado um “sabor” Linux seja ele Ubuntu, Gentoo ou Fedora. Ele inclui o kernel Linux, alguns softwares provenientes do projeto GNU e o mais importante um monte de softwares e outras ferramentas não estão diretamente relacionados com os dois anteriores. Atenha-se ao nome da distribuição e certamente estará fazendo a melhor escolha e não se esqueça de levar algum tempo extra para ensinar aos xiitas que insistem em te bombardear com bobagens sem tamanho, uma lição sobre o que realmente é um sistema operacional.
Artigo retirado de nossos arquivos – colaborador não identificado

você pode gostar também Mais do autor

Comentários