Notícias sobre Ubuntu, Debian, Fedora, Linux, Android, Tecnologia, LibreOffice e muito mais!

Conhecendo o Advanced Packaging Tool (APT)

Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais o Advanced Packaging Tool (APT), o gerenciador de pacotes do Debian e seus derivados. Então, vamos aprender como esse gerenciador surgiu e alguns comandos que são necessário para os usuários que o utilizam.

Conhecendo o Advanced Packaging Tool (APT)

No princípio era o .tar.gz. Os usuários tinham que compilar cada programa que quisessem usar em seus sistemas GNU/Linux, ou outro qualquer. Quando o Debian foi criado, uma nova forma de gerenciamento de pacotes tornou-se necessário. Para este sistema, foi dado o nome dpkg. Esse famoso pacote (Pacote é um arquivo binário, compactado ou não, que contém os arquivos binários do software, scripts de configuração, documentação, ícones, imagens, licenças GPL e, por vezes, os próprios arquivos-fonte. Um pacote pode ser criptografado e assinado digitalmente, apesar de nem todos o serem.) foi o primeiro a chegar nos sistemas GNU/Linux. Logo após a Red Hat decidiu criar seu próprio sistema, o RPM.

Um novo dilema rapidamente tomou conta das mentes dos criadores do GNU/Linux. Eles precisavam de um método rápido, prático e eficiente para instalar pacotes, que deveriam gerenciar automaticamente as dependências e cuidar dos arquivos de configuração ao atualizá-los. Aqui novamente, o Debian mostrou o caminho e deu vida ao APT, o ‘Advanced Packaging Tool’ (ferramenta de pacotes avançada), hoje portado pela Conectiva e incorporado por algumas outras distribuições”.

APT é um programa C++ cujo código reside principalmente na biblioteca compartilhada libapt-pkg. Usar uma biblioteca compartilhada para facilitar a criação de interfaces de usuário (front-ends), já que o código contido na biblioteca pode facilmente ser reutilizado. Historicamente, apt-get foi projetado apenas como um front-end de teste para libapt-pkg, mas seu sucesso tende a obscurecer esse fato, tornando-se a ferramenta usada no gerenciamento de pacotes padrão do Debian e seus derivados. Você também pode usar outra ferramentas para gerenciar o APT, como Aptitude, que tem uma interface semi-gráfico e o Synaptic que é uma ferramenta em modo gráfico.
Agora que já possuímos um embasamento sobre a origem e porque foi necessário criar o APT, vamos aprender alguns comandos essenciais.

 

Instalação de programas

Para Instalar um programa é muito fácil, basta usar o seguinte comando:

[sudo apt-get install nome_do_pacote]

Instalando mais de um programa simultaneamente:

[sudo apt-get install pacote1 pacote2 pacote3]

Baixa apenas os pacotes, não são desempacotados e nem instalados. Os arquivos baixados são colocados no diretório /var/cache/apt/archives

[sudo apt-get install -d nome_do_pacote]

Simulando a instalação de um pacote, isso não altera nada no seu sistema:

[sudo apt-get install -s nome_do_pacote]

Ainda temos a opção -y que assume “sim” para todas as perguntas, e a opção -u mostrar pacotes que serão atualizados.

Desinstalação de programas

Para remoção de um programa:

[sudo apt-get remove nome_do_pacote]

Removendo mais de um programa simultaneamente:

[sudo apt-get remove pacote1 pacote2 pacote3]

Quando você usa “apt-get remove” para desinstalar um programa, ele ainda deixa suas configurações, por exemplo: Quando você instala o servidor de impressão CUPS e cria uma configuração personalizada. Ao remover com “apt-get remove cups” essas configurações ainda continuam presentes no /etc/, caso você venha a reinstalar esse pacote estas configurações serão mantidas. Para uma desinstalação completa temos que usar esse comando:

[sudo apt-get purge nome_do_pacote]

Caso você de alguma forma danifique a instalação de um pacote, ou simplesmente deseja que os arquivos do pacote sejam repostos com a versão mais nova que estiver disponível, você pode usar esse comando:

[sudo apt-get –reinstall install nome_do_pacote]

Atualização

Atualizar lista de repositório do sistema:

[sudo apt-get update]

Instalar as atualizações de todos os pacotes no sistema:

 [sudo apt-get upgrade]

O dist-upgrade é quase igual ao upgrade , o dist-upgrade também atualiza o sistema, mas  pode remover pacotes que ele julgue necessário para atualização do sistema.

[sudo apt-get dist-upgrade]



Obtendo informações sobre os pacotes
Para isso, vamos usar o apt-cahe que é o outra ferramenta para o APT, ela é usada para manipular e obter informações sobre os pacotes no cache (O cache é um sistema de armazenamento temporário usado para acelerar o acesso frequente de dados) do APT.

Esse comando pesquisa por pacotes que estejam relacionados com a palavra-chave que você deseja, e traz uma breve descrição sobre eles.

[sudo apt-cache search palavra-chave]

Este comando fornece a descrição do pacote, suas dependências, o nome de seu mantenedor, entre outras coisas. Ele traz mais informações do que o apt-cache search.

[sudo apt-cache show nome_do_pacote]

Mostra as dependência de um pacote:

[sudo apt-cache depends nome_do_pacote]

Este comando escreve o nome de cada pacote que o APT conhece:

[sudo apt-cache pkgnames]

Para exibir as prioridades de pacote, se ele está instalado ou não, a versão e outras coisas:

[sudo apt-cache policy]

Limpeza

O APT mantém uma cópia de cada arquivo .deb baixado no diretório /var/cache/apt/archives/ . Caso haja atualizações frequentes, este diretório pode rapidamente ocupar uma grande espaço em disco com várias versões de cada pacote. Para efetuar essa limpeza, vamos usar dois comandos que são:

[sudo apt-get clean]

Esse esvazia completamente o diretório.

[sudo apt-get autoclean]

Remove apenas os pacotes que não podem mais ser baixados, por terem sumido dos repositórios do Debian, e são agora claramente inúteis.

O comando a seguir é usado para remover pacotes que foram instalados automaticamente, para satisfazer dependências de outros pacotes, que já não são necessários.

[sudo apt-get autoremove]

Resolvendo Problemas
Às vezes, um defeito em algum pacote ou um download corrompido pode fazer com que o APT fique “travado”, sem concluir a instalação de um determinado pacote por causa de um erro qualquer e sem aceitar instalar outros antes que o problema inicial seja resolvido.

Caso isso aconteça, usamos o sistema de resolução de problemas do APT,  que verifica a lista de dependências quebradas e tenta corrigi-las, instalando pacotes necessários. Para isso, usamos esse comando:

[sudo apt-get -f install]

Caso você queira saber qual é a dependência que está faltando, o comando a seguir faz a verificação e mostra todas as dependências que o pacote necessita.

[sudo dpkg –configure -a]

Caso apt-get -f install não resolva, o que é bem difícil isso acontecer, experimente o “sudo apt-get -f remove”, que tem uma função similar à do “sudo apt-get -f install”, mas dá preferência a remover os pacotes com problemas, ao invés de tentar corrigir a instalação.

Comentários