Como o Ubuntu está ajudando computadores a terem sensibilidade ao toque

Como o Ubuntu está ajudando computadores a terem sensibilidade ao toque
Um projeto desenvolvido na Universidade de St. Andrews, no Reino Unido, vem chamando a atenção por possibilitar que computadores adquiram sensibilidade ao toque, utilizando o sistema operacional Ubuntu.
No coração do projeto, chamado RadarCat, o pequeno chip chamado de Soli é o responsável por toda a mágica, chip que foi apresentado no Google I/O 2015.

O Soli é um pequeno radar e seu uso primário é para reconhecimento de gestos, onde pode ser construído em um smartphone, para que um usuário possa acenar a mão sobre ele e ligá-lo, por exemplo.

O que os estudantes da St. Andrews estão fazendo, é estendendo as capacidades do Soli. Eles aprenderam que, além de movimento, para o toque de diferentes materiais, o Soli é capaz de produzir diferentes sinais únicos.

google_ad_client = “ca-pub-5822666425104102”;
google_ad_slot = “4535459677”;
google_ad_width = 728;
google_ad_height = 90;


Através do uso do aprendizado de máquina (é aqui que o Ubuntu entra), esses sinais podem ser enviados para um computador para detectar não só o tipo de material que está tocando o chip (por exemplo: madeira, vidro, pele, etc), mas também o que ele realmente é. 

Confira mais detalhes no vídeo abaixo:
O uso de aprendizado de máquina significa que o RadarCat irá melhorar sua precisão ao longo do tempo e cada interação irá ensinar mais e mais.
A realidade vistas em alguns filmes de ficção está bem próxima de se tornar realidade.

E você leitor, o que espera de uma tecnologia assim daqui a alguns anos?

Comentários