Notícias sobre Ubuntu, Debian, Fedora, Linux, Android, Tecnologia, LibreOffice e muito mais!

Projeto quer criar laptops Linux baseados em PowerPC

PowerPC, o retorno?

Recentemente, surgiu um grupo com o objetivo de criar um linha de computadores Linux baseados na arquitetura PowerPC. Atualmente, eles estão arrecadando dinheiro e realizando o planejamento inicial. A questão é: eles podem fazer? E se fizerem, valerá a pena?

O que é PowerPC?

Bem, a Apple utilizou essa arquitetura em seus computadores até o início dos anos 2000. O PowerPC é uma arquitetura de computação que criou uma aliança entre a Apple, IBM e a Motorola. A tecnologia PowerPC é baseada em computador de configurações reduzidas (ou RISC). Isso significa que os chips RISC funcionam processando uma séria de instruções gerais curtas. Isso é diferente dos processadores x86 que executam na maioria dos computadores hoje. Esses chips usam a arquitetura do complexo conjunto de instruções (ou CISC), que usa instruções complexas ou multi-etapas para funcionar.

Atualmente, o PowerPC pode ser encontrado em sistemas embarcados e nicho de computadores, como a série AmigaOne.

Conheça o projeto Linux PowerPC Notebook

O projeto é formado por um grupo de fãs de Linux que querem revitalizar o uso do PowerPC. Para manter a bola rolando, eles estão atualmente trabalhando para arrecadar dinheiro para contratar uma empresa que projeter uma placa-mãe PowerPC moderna. Em seu plano, esta é apenas a primeira fase da criação de um laptop Linux PowerPC. A empresa que eles querem contratar (ACube) tem experiência na criação de hardware PowerPC, incluindo o AmigaOne 500. Até agora, o grupo arrecadou 4.310 euros de um objetivo total de 12.600 euros.

Mesmo criando a placa-mãe, esse é o primeiro passo de uma longa estrada. A equipe já tem ideia do que eles querem que o produto final pareça. Abaixo está uma lista da especificação que eles esperam ter no futuro laptop PowerPC. Essas especificações podem mudar no futuro:

  • CPU: NXP T208x, e6500 64-bit Power Architecture com Altivec technology
    • 4 x e6500 dual-threaded cores, baixa latência 2MB L2 cache, 16GFLOPS x core
  • RAM: 2 slots para DDR3L SO-DIMM
  • VÍDEO: Placa de vídeo MXM Radeon (removível)
  • ÁUDIO: chip de som, jacks para entrada/saída
  • USB: portas 3.0 e 2.0
  • ARMAZENAMENTO:
    • NVM Express (NVMe), conector M.2 2280
    • 2x SATA
    • 1x leitor de cartão SDHC
  • REDE:
    • 1x conector RJ-45
    • Conectividade WiFi
    • Conectividade Bluetooth
  • POWER: carregador de bateria e gerenciamento de energia
  • CHASSIS: case padrão de 15,6″

Vantagens do PowerPC sobre x86

Por que o PowerPC? Para começar, a arquitetura PowerPC é muito mais nova do que a arquitetura x86 que usamos todos os dias. A X86 foi lançada em 1987 e a PowerPC foi lançado em 1991. Isso significa que os criadores do PowerPC aprenderam com os erros e as faltas do x86.

O resto dos motivos do projeto Linux PowerPC Notebook são bem técnicos:

  • Arquitetura de 64 bits com um subconjunto apropriado de 32 bits
  • As instruções amplas do vetor com o arquivo de registro grande permitem o deslocamento eficiente de dados sem o uso de memória off-chip
  • A arquitetura RISC introduz o conceito superescalar de unidades de execução múltipla: ramo, inteiro fixo, ponto flutuante
  • Processamento vetorial AltiVec SIMD
  • O ISA 2.04/2.05/2.06 suporta multicore/multithreading, virtualização, hypervisor e Power Management.

A arquitetura CISC usa mais energia e acaba esquentando mais do que a RISC. Isso ocorre porque um chip CISC completa menos instruções por processo, mas cada passo é mais complicado.

Além disso, parece que o PowerPC tem uma vantagem quando se trata de processar grandes quantidades de dados. De acordo com um artigo na ComputerWeekly, o PowerPC brilha quando se trata de “cargas de trabalho da empresa”.

Isso inclui “bancos de dados, armazenamento de dados, processamento de transações de dados, criptografia/compressão de dados e, certamente, em computação de alto desempenho, que a maioria dos empresários consideram como analítica”. O PowerPC surge a este respeito porque a virtualização e os hypervisors estão incluídos na arquitetura. Na arquitetura x86, a maioria dos hypervisors são produtos de terceiros.

Considerações finais

Eu compraria um laptop Linux baseado em PowerPC? Dependeria de duas coisas:

  • Se eu pudesse pagar;
  • Se tiver um grande impulso de desempenho sobre o x86.

A pergunta que fica é: o desenvolvimento do PowerPC continuou com o desenvolvimento do x86? Porque uma das razões pela qual a Apple mudou para o Intel x86 foi porque ficaram desapontados com a velocidade da IBM na melhoria dos chips PowerPC. Claro, isso aconteceu há mais de uma década. Quem sabe o avanço que a IBM teria feito naquele momento.

Outra dúvida: por que não se concentrar na criação de um laptop com ARM? Afinal, o ARM usou o mesmo conjunto de instruções RISC como o PowerPC e é usado em uma ampla gama de dispositivos de computação. O ARM explodiu em popularidade com o lançamento do RaspberryPi. Tenho certeza que existem mais distros do Linux com suporte para RM do que com suporte para o PowerPC.

Por outro lado, o PowerPC está muito mais perto de estar realmente pronto para usar o desktop. A IBM continou a desenvolver a arquitetura PowerPC através da Fundação OpenPOWER.

Independentemente disso, o laptop Linux PowerPC não vai aparecer do dia pra noite. Ainda estão na fase de planejamento. Existem vários obstáculos que terão de superar e, com certeza, aumentar o dinheiro investido. Que tenham muita sorte nos esforços.

E você, compraria um laptop Linux PowerPC? Qual sua opinião sobre a discussão PowerPC vs x86? Deixa aí nos comentários.

Se você quiser doar para o projeto ou saber mais, visite o site.

Laptop Linux PowerPC – Site

Doar para o projeto

Link útil:

Análise: x86 vs PowerPC

 

Via Fonte
Comentários