in

5G é declarado seguro por comissão internacional

Os fabricantes já estão desenvolvendo novos aparelhos com as diretrizes mais rígidas em mente.

5G é declarado seguro por comissão internacional
Imagem: Reprodução | Fudzilla.

A Comissão Internacional de Proteção contra Radiação Não-Ionizante (ICNIRP) passou vários anos revisando a literatura científica sobre os efeitos da exposição a campos eletromagnéticos. Portanto, ela afirma que as novas diretrizes fornecerão proteção aprimorada para as próximas tecnologias 5G que usam altas frequências. Assim, o 5G acabou sendo declarado seguro por esta comissão internacional.

5G é declarado seguro por comissão internacional

É a primeira vez desde 1998 que as diretrizes sobre proteção de seres humanos contra radiação de redes telefônicas, Wi-Fi e Bluetooth foram atualizadas.

As regras não impõem novos limites aos telefones 5G, mas dizem respeito aos próprios telefones.

5G é declarado seguro por comissão internacional
Um órgão de padrões por trás das novas regras 5G diz que não há evidências de que as redes móveis causem câncer ou outras doenças.

O Dr. Eric van Rongen, presidente da Comissão Internacional de Proteção contra Radiação Não-Ionizante (ICNIRP), disse à BBC que é preciso haver “limites mais conservadores” à radiação dos aparelhos quando eles se conectam a redes 5G de maior frequência.

As alterações se concentram em frequências acima de 6 GHz.

O benefício é que elas podem fornecer velocidades extremamente altas, mas apenas em curtas distâncias.

As regras fornecem “um nível de proteção um pouco mais alto do que as diretrizes atuais”, disse o Dr. Eric van Rongen à BBC.

No entanto, os fabricantes já estão desenvolvendo novos aparelhos com as diretrizes mais rígidas em mente.

A comissão concluiu que, além de algum aquecimento do tecido do corpo humano, não havia evidências de danos.

Van Rongen disse:

Também consideramos todos os outros tipos de efeitos. Por exemplo, se as ondas de rádio poderiam levar ao desenvolvimento de câncer no corpo humano.

Achamos que a evidência científica para isso não é suficiente para concluir que realmente existe esse efeito.

O regulador de telecomunicações do Reino Unido, Ofcom, vem testando as redes 5G para verificar se as emissões não excedem as diretrizes existentes.

Até o momento, foram realizados 16 testes em locais onde o uso móvel é alto.

Em cada caso, constatou-se que as emissões de radiação eram “uma pequena fração” do que era permitido, com a leitura mais alta apenas 1,5% do nível máximo permitido.

Fonte: Fudzilla

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.