in

China quer punir Apple, Qualcomm e outras empresas para se vingar dos EUA

China deve realizar investigações completas sobre empresas americanas relevantes e “deixá-las sentir a dor”.

De acordo com uma fonte citada pelo Global Times em inglês, a China está pronta para punir a Apple e outras empresas para se vingar dos EUA ao empregar uma série de “contramedidas”, incluindo a criação de uma “lista de entidades não confiáveis” que resultaria em restrições às empresas americanas. Outras empresas norte-americanas que a fonte mencionou são Qualcomm e Cisco.

Embora essas informações venham de uma fonte, o Global Times é publicado pelo People’s Daily, o jornal oficial do governo comunista chinês. O Global Times não é uma fonte oficial do governo, mas acredita-se que reflete as crenças do governo chinês.

China quer punir Apple e outras empresas para se vingar dos EUA

He Weiwen, ex-alto funcionário comercial e membro do conselho executivo da Sociedade Chinesa para Estudos da Organização Mundial do Comércio, disse ao Global Times que a China deve realizar investigações completas sobre empresas americanas relevantes e “deixá-las sentir a dor”.

Uma fonte chinesa anônima afirmou:

A China iniciará inúmeras investigações nessas empresas. Isso diminuirá a confiança dos investidores e reduzirá sua renda no mercado chinês. Isso também infligirá uma reação em cadeia a vários players na produção de chips dos EUA.

China quer punir Apple, Qualcomm e outras empresas para se vingar dos EUA
China deve realizar investigações completas sobre empresas americanas relevantes e “deixá-las sentir a dor”. Imagem: Tech Spot.

O Wall Street Journal diz que uma proibição de chips dos EUA na China pode custar às empresas de tecnologia dos EUA US$ 36 bilhões em receita. As exportações americanas de chips para a China ainda geram superávit comercial, um dos poucos setores de negócios que ainda o fazem.

Por fim, segundo Gao Lingyun, especialista da Academia Chinesa de Ciências Sociais de Pequim, o governo chinês primeiro punirá pequenas empresas americanas dependentes da China. Falando sobre as pequenas empresas, ele diz:

Elas são vulneráveis a medidas restritivas. A maioria das pequenas empresas será levada à beira do colapso.

Fonte: Phone Arena