in

Criador do Python agora trabalha para a Microsoft

O famoso desenvolvedor de código aberto saiu da aposentadoria para ingressar na Microsoft Developer Division e continuar seu trabalho na linguagem Python.

Ele poderia estar curtindo uma boa aposentadoria. Porém, o desenvolvedor Guido van Rossum, criador da linguagem de programação Python, agora trabalha para a Microsoft. Ele já está com 64 anos, uma idade em que a grande maioria dos programadores já se aposentou. Contudo, ele considera que “a aposentadoria foi entediante” e voltou a trabalhar para ninguém menos que a Microsoft.

Criador do Python agora trabalha para a Microsoft

Van Rossum é mais conhecido como o criador da popular linguagem de código aberto Python. Nem é preciso dizer que esse movimento pegou as pessoas de surpresa. A Microsoft, por exemplo, está satisfeita com sua mudança. Sendo assim, um porta-voz da Microsoft disse: “Estamos entusiasmados em tê-lo como parte da Divisão de Desenvolvedores. A Microsoft está comprometida em contribuir e crescer com a comunidade Python, e a integração de Guido é um reflexo desse compromisso.”

Criador do Python agora trabalha para a Microsoft
Guido van Rossum, criador do Python.

Van Rossum, que criou o Python em 1989 e se tornou o Benevolent Dictator for Life (BDFL). Além disso, é amplamente respeitado como um dos maiores programadores de código aberto. Python é uma das linguagens mais amplamente utilizadas no mundo. É uma das linguagens de base em muitos softwares importantes: Linux, Apache, MySQL, Python/Perl/PHP (LAMP). Graças ao seu uso em Machine Learning (ML), o Python não mostra sinais de desaceleração.

Enquanto van Rossum deixou o cargo de BDFL do Python em 2018, ele permaneceu ativo nos círculos de desenvolvimento do Python. Ele também ainda é o presidente da Python Software Foundation. Este grupo supervisiona a linguagem Python.

Ao longo dos anos, van Rossum trabalhou para muitas empresas. Isso incluiu a Zope, uma organização de servidor de aplicação web baseada em Python; Google; e a empresa de armazenamento em nuvem pessoal Dropbox, que é construída em Python. Não importa a empresa; não importa o cargo; van Rossum continuou trabalhando para melhorar o Python.

O interesse da Microsoft

Podemos ter certeza de que ele continuará fazendo isso na Microsoft. Durante anos, a Microsoft teve pouco interesse ativo em Python, graças a uma atitude “Não inventado aqui”. Conforme a Microsoft começou a trabalhar mais com código aberto e nuvem, a empresa mudou sua postura.

Como Steve Dower, um engenheiro de software da Microsoft explicou, a Microsoft começou a trabalhar com Python primeiro com Python Tools for Visual Studio (PTVS) em 2010 e depois com IronPython, que roda em .NET. Em 2018, “estamos orgulhosos do Python, oferecendo suporte em nossas ferramentas de desenvolvedor, como Visual Studio e Visual Studio Code, hospedando-o em Notebooks do Azure e usando-o para criar experiências de usuário final, como a CLI do Azure.”

Então, Python é “uma das linguagens essenciais para suporte de serviços e equipes, bem como a escolha mais popular para o campo de rápido crescimento da ciência de dados e análise, tanto dentro quanto fora da empresa”, concluiu Dower.

Portanto, a contratação de van Rossum pela Microsoft é uma das ações mais inteligentes que ela poderia tomar. Assim, a Microsoft deve se solidificar como uma empresa líder de desenvolvimento de software e um verdadeiro crente do código aberto.

ZDNet