SempreUPdate
Notícias sobre Ubuntu, Debian, Fedora, Linux, Android, Tecnologia, LibreOffice e muito mais!

Faça do terminal o seu amigo (parte 3)

Quebre o gelo com o Terminal, conheça um pouco mais!

Nesta terceira e última parte do tutorial de comandos do terminal iremos aprender criar lives USB e clonagem de dispositivos em geral (HDs, Pendrives, DVDs, CDs, etc) com o comando “dd”, veremos também como formatar dispositivos com os comandos “cfdisk” e mkfs.

Para ver os tutoriais anteriores clique nos links a seguir.

Parte 1 Parte 2

Comando do Terminal dd!

Um de meus comandos preferidos é o “dd”, esse comando serve para clonar discos e dispositivos como HDs, SDs, pendrives, SSDs, CDs, DVDs etc. Também serve para apagar partições por completo, enchendo-os com zeros (ou outros tipos de dados) e criar lives USB de qualquer distribuição Linux.

Vamos criar uma live USB do Debian para demonstra o funcionamento desse comando. Espete um pendrive, abra o terminal e digite o comando “lsblk” para listar os dispositivos conectados ao seu pc e suas labels.

lsblk

Quando você conectar um novo dispositivo no seu pc, o Linux vai atribuir uma label para ele, por exemplo o “/dev/sda” que é o HD onde o seu sistema está instalado, então o próximo dispositivo que você conectar receberá a label “/dev/sdb”, o próximo “/dev/sdc” e por aí a diante. Quando o dispositivo está dividido em varias partições, cada partição recebera um numero, por exemplo “/dev/sda1”, “/dev/sda2”, “/dev/sda3”,etc. Agora vamos supor que você tenha apenas um pendrive de 8 GB espetado, ele aparecerá como “/dev/sdb”, então vamos criar a live USB nele, para isso vamos logar como usuário root e navegar até o diretório onde o arquivo .iso está guardado, neste caso acabamos baixar a iso, então ela está no diretório “Downloads”.
sudo -i
Digite sua senha em seguida!
cd /home/usuário/Downloads/

Agora vamos listar o conteúdo do diretório.

ls

Lá está a iso do Debian que vamos utilizar para criar a live, para isso você deve chamar o comando “dd” informando o disco de origem e destino, ou seja, o disco que você deseja clonar e o dispositivo onde a copia será feita, tome muito cuidado agora ao digitar o caminho de saída, nunca atribua o “/dev/sda” em NADA, lembre-se que ele é o HD onde o seu sistema nativo está instalado e se você atribui-lo irá destruir o seu sistema.

dd if=nome-da-iso-baixada.iso of=/dev/sdb
Vamos analisar essa sintaxe. Primeiro o “dd” foi chamado, depois com o “if=” informamos o nome da iso que será clonada e o “of=” que representa o dispositivo alvo. Ao pressionar enter, a live USB será criada, esse processo pode demorar de 15 minutos até meia hora, isso depende do tamanho da iso e da capacidade do seu processador, então seja paciente. Quando o processo terminar, o sistema irá informar a quantidade de dados copiados, lembrando que o que o sistema não copiar ficará como espaço não alocado, por exemplo, a iso do Debian tem 4 Gbs, mas o pendrive tem 8 Gbs, então ele fará uma copia exata da iso no pendrive deixando os outro 4 Gbs restante desalocados.
Pronto, você acabou de criar uma live USB sem usar nenhum software adicional, então diga adeus ao Unetbootin e outros programas similares, você não precisa mais deles. Além de criar lives USB você também pode clonar HDs inteiros utilizando a mesma sintaxe, desde que eles tenham o tamanho igual ou que o HD alvo seja maior que o HD a ser copiado, mas lembre-se que se você clonar um HD de 300 Gbs para um HD de 500 Gbs você deixará 200 Gbs dele desalocado, lembre-se também que esse processo é demorado, muito demorado.
dd if=/dev/sdb of=/dev/sdc
Lembrando que você NUNCA deve atribuir o “/dev/sda” em NADA, caso você queira fazer um clone de seu HD interno, você deve faze-lo de uma live USB tomando o máximo de cuidado para não digitar nada errado.

Você também pode usar o comando “dd” para criar isos de outras distros que você já tenha gravado em cd ou dvd e também queimar as suas isos em um cd ou dvd, para isso basta colocar o cd ou dvd da distro que você já tenha gravada no driver e digitar o seguinte comando.

dd if=/dev/cdrom of=NomeDoArquivo.iso

Para gravar uma iso em um cd ou dvd, basta fazer o processo contrario, colocando uma mídia gravável no driver e digitando o comando abaixo.

dd if=NomeDoArquivo.iso of=/dev/cdrom
Assim você não precisa mais do braseiro para gravar as suas isos!

Formatando pendrives via terminal.

Vamos supor que você tenha acabado de instalar o Debian a partir da live USB que você acabou de criar, agora você que formatar o seu pendrive e usa-lo novamente para guardar documentos. Normalmente as pessoas utilizam programas como o Gparted para formatar o pendrive, mas agora faremos uma formatação manualmente via terminal.

Primeiro logamos como usuário root.

sudo -i

Vamos conferir a label e as partições com o comando “lsblk”.

lsblk

Agora desmontamos o dispositivo que iremos formatar, você deve desmontar partição por partição.

umount /dev/sdb1
umount /dev/sdb2

Hora de criarmos partições com o comando “cfdisk”.

cfdisk /dev/sdb

Apague tudo e crie uma ou mais partições dividindo-as, você pode dividindo-las em “GB” gigas, “MB” megas, “KB” kbytes, etc.

Feito isso, é só formatar as partições com o comando “mkfs”.

mkfs -t ext4 /dev/sdb1

ou

mkfs.ext4 /dev/sdb1

E também em outros formatos.

mkfs -t ntfs /dev/sdb1

ou

mkfs.ntfs /dev/sdb1
Você pode formatar-los em ext3, ext4, NTFS, etc, mas caso você escolha o formato “ext” você terá que mudar as permissões para poder acessar as partições que você acaba de criar, para isso basta montar o dispositivo em /mnt e alterar as permissões com o chmod.
mount /dev/sdb1 /mnt
Montado, agora mude as permissões.
chmod ugo+rw /mnt

Agora é só desmontar

umount /dev/sdb1
Muito bem, você acaba de formatar seu pendrive manualmente, agora você pode formatar seus dispositivos de armazenamento sem a necessidade de qualquer outro software adicional.
Faça bom proveito de seus conhecimentos e compartilhe-os com as pessoas.
Comentários