in

Facebook, Google e Twitter podem interromper os serviços no Paquistão

Leis de censura digital podem forçar as empresas a abandonar o Paquistão por completo.

Facebook, Google e Twitter podem interromper os serviços no Paquistão
Imagem: Reprodução | Fossbytes.

O Paquistão recentemente introduziu suas leis de censura da internet, segundo as quais os gigantes da tecnologia podem retirar uma grande variedade de conteúdo de suas plataformas, se exigido pelas autoridades. As rigorosas exigências de censura forçaram empresas como Facebook, Google e Twitter a unir forças e exigir a revogação destas leis no Paquistão.

Facebook, Google e Twitter podem interromper os serviços no Paquistão

De acordo com as Regras de proteção ao cidadão do Paquistão, as plataformas de mídia social terão que remover qualquer conteúdo considerado censurável pelas autoridades dentro de 24 horas. Além disso, as plataformas devem impedir a transmissão ao vivo de conteúdo on-line relacionado ao terrorismo, discurso de ódio, notícias falsas e extremismo.

Ainda mais, as leis de censura dão ao governo do Paquistão o poder de bloquear qualquer plataforma de mídia social. Eles também têm o poder de cobrar uma multa de US$ 6,9 milhões se elas não cumprirem as leis.

Respondendo a essas duras regras que podem comprometer a liberdade de expressão e os direitos da internet, empresas como Facebook, Google e Twitter, que fazem parte da Asia Internet Coalition (um órgão comercial), escreveram uma carta ao Primeiro Ministro do Paquistão.

Na carta, as empresas escreveram:

As regras atualmente escritas tornariam extremamente difícil para os membros da AIC disponibilizarem seus serviços para usuários e empresas paquistanesas.

A ameaça de descontinuar os serviços no Paquistão pretende aumentar a pressão sobre o governo paquistanês para revogar as leis.

Facebook, Google e Twitter podem interromper os serviços no Paquistão
Muitos não conseguem imaginar o que fariam sem tecnologias como a internet. Imagem: Reprodução | IoT Tech Trends.

Não fazer isso significaria que 70 milhões de pessoas paquistanesas serão privadas dos serviços oferecidos pelo Facebook, Google, Twitter e outros gigantes da tecnologia.

Depois de testemunhar o protesto de empresas, cidadãos e defensores da liberdade de expressão, as autoridades paquistanesas disseram que vão rever as leis de censura. Além disso, eles tentarão adotar um “processo de consulta abrangente com todos os segmentos relevantes da sociedade civil e empresas de tecnologia”.

Fonte: Fossbytes

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.

Game Developers Conference foi adiada devido ao coronavírus

Game Developers Conference foi adiada devido ao coronavírus

Desenvolvedores conseguem invadir o aplicativo TikTok com um ataque de DNS

Segundo o CEO do Reddit, você não deveria instalar o TikTok no seu telefone pois ele é um spyware