in

Facebook paga usuários para instalar VPN espiã

Facebook paga usuários para instalar VPN espiã

As polêmicas em torno da falta de privacidade no Facebook não terminam. Depois de ter expulso a Onavo VPN de sua loja da Apple, o Facebook encontrou uma maneira de burlar a proibição. De acordo com o site Techcrunch, o Facebook está desesperado por dados sobre seus concorrentes. Assim, tem secretamente pago pessoas para instalar uma VPN “Facebook Research”. Então, a ferramenta permite que a empresa recolha toda a atividade de telefone e web de um usuário. É a mesma coisa feita pelo aplicativo Onavo Protect do Facebook que a Apple baniu em junho e que foi removido em agosto. Portanto, confira neste post que o Facebook paga usuários para instalar VPN espiã.

Relação conflituosa com a Apple

O Facebook evita a App Store e recompensa adolescentes e adultos a baixar o aplicativo de pesquisa e dar acesso root ao tráfego de rede. Portanto, esta pode ser uma violação da política da Apple para que a rede social possa descriptografar e analisar sua atividade telefônica, confirma uma investigação da TechCrunch.

O Facebook admitiu que estava executando o programa de pesquisa para coletar dados sobre os hábitos de uso.

Desde 2016, o Facebook paga usuários com idades entre 13 e 35 anos até US$ 20 por mês, além de taxas de indicação para vender sua privacidade, instalando o aplicativo “Facebook Research” do iOS ou Android. O Facebook até pediu aos usuários para fazer o screenshot de sua página de histórico de pedidos da Amazon.

O programa é administrado pelos serviços de testes beta Applause, BetaBound e uTest para encobrir o envolvimento do Facebook. Em algumas documentações recebe o codinome de “Project Atlas”. A intenção é mapear novas tendências e rivais ao redor do mundo.

Após a divulgação, o Facebook disse ao TechCrunch que encerraria a versão para iOS de seu aplicativo de pesquisa. Porém, um porta-voz da Apple confirmou que o Facebook violou suas políticas e bloqueou o aplicativo de pesquisa antes que a rede social parecesse fazer isso voluntariamente. Você pode ler o relatório completo sobre o desenvolvimento aqui.

Um porta-voz da Apple deu esta declaração: 

Nós projetamos nosso Enterprise Developer Program exclusivamente para a distribuição interna de aplicativos dentro de uma organização, disse um porta-voz.

O Facebook tem usado seus membros para distribuir um aplicativo de coleta de dados para os consumidores, o que é uma clara violação de seu contrato com a Apple. Qualquer desenvolvedor usando seus certificados corporativos para distribuir aplicativos para os consumidores terá seus certificados revogados, que foi o que fizemos neste caso para proteger nossos usuários e seus dados.

O programa de pesquisa do Facebook continuará a ser executado no Android.

Na base da confiança?

O aplicativo de pesquisa do Facebook exige que os usuários “confiem” nele com acesso extensivo aos dados.

Um especialista em segurança do Guardian Mobile Firewall, Will Strafach, está investigando o aplicativo do Facebook Research. Se o Facebook fizer uso total do nível de acesso dada a solicitação aos usuários para instalar o Certificado, a empresa terá a capacidade de coletar continuamente os seguintes tipos de dados:

  • mensagens privadas em aplicativos de mídia social;
  • bate-papos em aplicativos de mensagens instantâneas – incluindo fotos/vídeos enviados para outras pessoas;
  • e-mails;
  • pesquisas na web;
  • atividade de navegação na Web;
  • e até mesmo informações de localização em andamento tocando nos feeds de qualquer aplicativo de rastreamento de localização que você tenha instalado.

Acesso quase total

Não está claro exatamente com quais dados o Facebook se preocupa, mas obtém acesso quase ilimitado ao dispositivo de um usuário quando instala o aplicativo.

A estratégia mostra até onde o Facebook está disposto a ir e quanto está disposto a pagar para proteger seu domínio – mesmo correndo o risco de quebrar as regras da plataforma iOS da Apple, da qual depende. A Apple pode ter pedido ao Facebook para interromper a distribuição de seu aplicativo de pesquisa.

Uma punição mais rigorosa seria revogar a permissão do Facebook para oferecer aplicativos somente para funcionários. A situação poderia agravar ainda mais as relações entre os gigantes da tecnologia. Tim Cook, da Apple, criticou repetidamente as práticas de coleta de dados do Facebook. O Facebook desobedecendo as políticas do iOS para obter mais informações pode se tornar um novo ponto de discussão.

O programa de pesquisa do Facebook é chamado de Atlas de Projetos em sites de inscrição que não mencionam o envolvimento do Facebook

“O passo que parece bastante técnico ‘instalar o nosso certificado raiz’ é chocante”, diz Strafach. Segundo ele, isso dá ao Facebook acesso contínuo aos dados mais confidenciais sobre você.

e a maioria dos usuários não poderá concordar razoavelmente com isso, independentemente de qualquer acordo assinado por eles, porque não há uma boa maneira de expressar quanto poder é entregue ao Facebook quando você faz isso, disse o perito.

Aplicativo de vigilância do Facebook

O Facebook entrou no negócio de detecção de dados quando adquiriu a Onavo por cerca de US $ 120 milhões em 2014. O aplicativo de VPN ajudou a rastrear os usuários e minimizar o uso de planos de dados móveis. Porém, também deu análises profundas ao Facebook sobre quais aplicativos eles estavam usando.

Documentos internos adquiridos por Charlie Warzel e Ryan Mac, do BuzzFeed News, fazem revelações importantes. Assim, o Facebook conseguiu promover a Onavo para obter dados do WhatsApp. Este estava enviando mais do que o dobro de mensagens por dia do Facebook Messenger. Portanto, o Onavo permitiu que o Facebook identificasse a ascensão meteórica do WhatsApp. Deste modo, pagou US$ 19 bilhões para comprar a startup de bate-papo em 2014. O WhatsApp triplicou sua base de usuários, demonstrando o poder da previsão de Onavo.

Ao longo dos anos, desde então, Onavo mostrou ao Facebook quais aplicativos  copiar, recursos a desenvolver e flops a evitar. Em 2018, o Facebook estava promovendo o aplicativo Onavo  Protect na esperança de marcar mais usuários para bisbilhotar. O Facebook também lançou o aplicativo Onavo Bolt, que permite que você bloqueie aplicativos com uma senha ou impressão digital. No entanto, ele foi descontinuado  após críticas de privacidade. O aplicativo principal da Onavo permanece disponível no Google Play e foi instalado mais de 10 milhões de vezes.

Written by Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Chrome 72 renova configurações e acaba com suporte a Chromecast

Chrome 72 renova configurações e acaba com suporte a Chromecast

Como instalar passo a passo o Kali Linux 2019

Como instalar passo a passo o Kali Linux 2019