Notícias

17/11/2021 às 15:00

5 min leitura

Avatar Autor
Por Jardeson Márcio

Google terá que pagar multa bilionária à Comissão da UE

Ruim para o Google, bom para os consumidores

Google terá que pagar multa bilionária à Comissão da UE

Depois de ser multado em bilhões pela Comissão da UE em 2017, o Google decidiu recorrer da decisão. No entanto, quatro anos depois, um tribunal da UE confirmou a multa de 2,42 bilhões de euros (mais de R$ 15 bi) imposta à empresa pela Comissão da UE.


A empresa ainda tem mais processos pendentes, com mais duas outras multas gigantes, da ordem de mais de 8,2 bilhões de euros. Nos três processos, as práticas anticompetitivas da empresa são condenadas.

Cerca de 90% de todas as consultas de pesquisa na Europa passam pelo serviço de busca Google, segundo o Shieb. Além disso, seu sistema operacional móvel Android tem atualmente uma participação de mercado de 72% na Europa

No ano passado, a empresa explorou repetidamente sua posição dominante em diferentes lugares. A Comissão da UE, com base nisso, em 2017, 2018 e 2019 aplicou multas que ultrapassam os oito mil milhões de euros.

O Google está sendo condenado por práticas anticompetitivas em multa bilionária

google-tera-que-pagar-multa-bilionaria-a-comissao-da-ue
Imagem: ComputerWorld

O tribunal da UE já havia sentenciado uma multa em 2017. De acordo com o tribunal o Google “explorou sua posição dominante e agiu de uma forma que distorceu a concorrência”. Agora, o TJE permanece como instância final. Portanto, a última palavra ainda não foi dita. No entanto, talvez o gigante das buscas não se livre da multa.

Em 2017, a Comissão da UE chegou à conclusão de que o Google havia explorado injustamente seu próprio poder de mercado ao vincular estreitamente seu próprio mecanismo de busca de compras ao Google. O ponto central da acusação é que os resultados do Google Shopping apareceram com destaque, enquanto outros comparadores de preços apareceram muito mais tarde.

Em 2018 houve outra multa recorde de 4,3 bilhões de euros, dessa vez por causa do Android. O Google teria forçado os fabricantes de smartphones a definir o mecanismo de busca do Google como padrão e a pré-instalar o navegador Google Chrome. Da mesma forma, onze outros aplicativos do Google.

Como o Google tem acesso a centenas de milhões de smartphones por meio de seu sistema operacional móvel Android, o grupo conseguiu colocar seus próprios produtos com mais destaque. Em detrimento da concorrência.

A decisão do tribunal é boa para os consumidores. Porque o Google há muito mudou suas práticas para evitar mais multas. Assim, qualquer pessoa tiver um smartphone com Android hoje pode escolher qual mecanismo de pesquisa deve ser predefinido, por exemplo. Os aplicativos também podem ser desinstalados e substituídos por outros aplicativos. Assim, temos mais opções.

Via: Schieb

Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.