Influenciador do Instagram foi condenado a 11 anos de prisão por fraude cibernética

Influenciador Nigeriano é condenado à prisão

Jardeson Márcio
Por Jardeson Márcio

Um influenciador do Instagram conhecido como Hushpuppi foi condenado a 11 anos de prisão por fraude. O homem foi preso por conspirar para lavar dezenas de milhões de dólares de golpes de comprometimento de e-mail comercial (BEC) e vários esquemas cibernéticos.

Nigeriano preso por fraude cibernética

O influenciador nigeriano de 40 anos é Ramon Olorunwa Abbas. Ele foi condenado a pagar uma restituição de US$ 1.732.841 (cerca de R$ 8,9 mi) a duas vítimas confirmadas, um escritório de advocacia nos EUA e um empresário no Catar.

Embora nem todos os golpes tenham conseguido fraudar os alvos, o Departamento de Justiça dos EUA diz que Abbas admitiu aos promotores que durante 18 meses, entre 2019 e 2022, ele conspirou para lavar mais de US$ 300 milhões (cerca de R$ 1,54 mi).

influenciador-do-instagram-foi-condenado-a-11-anos-de-prisao-por-fraude-cibernetica
Imagem: Bleeping Computer

De acordo com Don Alway, diretor assistente encarregado do escritório de campo do FBI em Los Angeles, “Ramon Abbas, também conhecido como Hushpuppi, teve como alvo vítimas americanas e internacionais, tornando-se um dos mais prolíficos lavadores de dinheiro do mundo”. Em alguns casos, o lavador de dinheiro prestou seus serviços a hackers norte-coreanos, que tentaram roubar dinheiro de bancos europeus.

Os rendimentos que Abbas obteve com essa atividade o ajudaram a construir um perfil no Instagram exibindo um estilo de vida luxuoso, onde ganhou status de influenciador, auxiliando ainda mais os ataques de engenharia social contra alvos.

A prisão do influenciador do Instagram

Abbas acabou sendo preso em Dubai, Emirados Árabes Unidos, em junho de 2020 e se declarou culpado de acusações de lavagem de dinheiro em abril de 2021. O anúncio do DoJ ilustrou vários exemplos de tentativas de golpes de Abbas, resumidos a seguir.

Em janeiro de 2019 foi oferecido para lavar US$ 14,7 milhões (cerca de R$ 75,4 mi) roubados por hackers norte-coreanos em um assalto cibernético a banco maltês, direcionando o valor através de contas na Romênia e na Bulgária.

Em maio de 2019 ele lavou milhões de libras roubadas de um clube profissional de futebol no Reino Unido, usando contas bancárias mexicanas.

Em outubro de 2019 ele enganou um escritório de advocacia de Nova York para enviar US$ 922.857 (cerca de R$ 4,7 mi) para uma conta sob o controle de um co-conspirador.

Abbas estava envolvido em outros esquemas, incluindo empréstimos multimilionários falsos direcionados a empresários no Catar. Em um caso, Abbas enganou um homem para pagar $ 330.000 (quase R$ 1,7 mi) supostamente necessários para a aprovação do empréstimo.

O co-conspirador de Abbas em muitos dos esquemas acima, Ghaled Alaumary, se declarou culpado de crimes de lavagem de dinheiro em novembro de 2020 e atualmente está cumprindo uma pena de prisão de 140 meses. Alaumary foi  condenado a pagar mais de US $ 30.000.000 (R$ 154,0 mi) em restituição, indicando que ele detinha um papel mais central nos esquemas, sendo o principal destinatário dos fundos roubados.

Compartilhe este artigo
Siga:
Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.