Criar uma distribuição Linux é relativamente fácil. Substituir algumas strings, algumas marcas e está pronto. Criar projetos únicos, independentes e auto-suficientes, isso é outra questão. A última categoria é reservada apenas a um pequeno número de distros que conseguem equilibrar a paternidade e a identidade individual, ao mesmo tempo que fornecem aos usuários uma configuração sensata e significativa para o trabalho e a diversão. O Linux Mint é uma distro única, simples e funcional, e embora alguns de nossos leitores não concordem, é um desses exemplos raros.

Por muitos anos, o Mint conseguiu com sucesso sua aparência cinza-esverdeada, com acesso fácil e bom às necessidades diárias. Isso nem sempre foi fácil, pois o Ubuntu muda muito, e isso frequentemente afeta o Mint de maneiras imprevisíveis. Ainda assim, no geral, conseguiu manter uma vantagem que vai além de ser mais um clone sem graça. Ficar com os lançamentos LTS como base é um desses manifestos. Um conjunto de ferramentas exclusivas é outro.

Para os usuários

É sempre bom quando a distro oferece valor novo e original aos usuários. Grandes exemplos incluem os Scripts Mágicos no TeenPup e os gostos do MX Tools no MX Linux. Essas são ótimas adições que realmente fazem a diferença e permitem que as distribuições se distanciem.

O Linux Mint também possui seu próprio conjunto de chaves de fenda e chaves inglesas. Durante a última meia dúzia de lançamentos, a caixa de ferramentas diminuiu um pouco, mas os programas que permanecem foram melhorados para oferecer mais valor. Atualmente eu uso o Mint Mate 18.3 Sylvia, que para os meus propósitos, acaba sendo um sistema muito bom, arredondado e prático, o que o faz uma das melhores opções para quem está entrando no mundo Linux.

Cópia de segurança

Este é provavelmente o mais visível. O programa permite que você faça backup de seus dados pessoais e configurações ou de seus programas instalados, o que pode ser útil após uma reinstalação ou reimplementação. Backup vem além do Timeshift, que é outra excelente opção para manter o estado do sistema intocado.

Ferramenta de backup – Seleção inicial

Ferramenta de backup

No geral, o programa funciona bem, é bem mais simples e informativo. Porém, o Timeshift é bem mais completo para fazer os backups, inclusive incrementais.

USB Image Writer

Escrever arquivos ISO em unidades USB pode soar como uma tarefa trivial, mas ainda há muita variedade, framentação e caos sob esse aspecto, como praticamente todas as outras facetas do uso da área de trabalho do Linux. O Mint tenta tornar as coisas um pouco mais simples adicionando seu próprio gravador de imagens USB. Este é um ótimo bônus já que o Ubuntu não teve um recentemente.

Gravador de imagem USB

Você também terá uma ferramenta, o USB Stick Formatter, que faz o que promete, formata dispositivos USB, de forma simples e agradável. Você não precisa de um programa completo como o GParted, e para os usuários menos experientes, há menos risco de erros.

Formatador de pendrive

Configurações da área de trabalho

Este programa não é instalado por padrão, mas está disponível nos repositórios sob o grupo genérico com prefixo mint (mintdesktop). Ele permite que você adicione cookies da sorte ao seu terminal, mostre ou oculte certos itens da área de trabalho e muito mais. Eu acredito que faz mais sentido para a edição MATE do que para o Cinnamon, daí o motivo de não vir como padrão. De qualquer maneira, a maioria das funcionalidades deve ser consolidada sob a proteção nas Configurações do Cinnamon e expandida conforme necessário, o que também é uma das razões pelas quais há menos programas independentes disponíveis no momento. No geral, a opção de Área de Trabalho disponível no painel de configurações corresponde bem à mesma função do mintdesktop.

Opções para a área de trabalho disponíveis no painel de configuração

Nanny (Babá)

Outro que não é um padrão, com um nome estranho (mintnanny) que não corresponde à função real do programa ou ao título da janela. Bloquear domínios pode parecer estranho, mas pode ser útil para algumas pessoas. A ferramenta permite que você gerencie sua lista negra sem jogar manualmente no arquivo /etc/hosts e/ou nas regras do firewall. Mais uma vez, mais de um privilégio do que a necessidade diária, mais é outra camada de identidade do Linux Mint.

mintnanny

Outras ferramentas

O Mint possui sua própria linha de ferramentas e recursos estéticos, incluindo uma capacidade integrada de instalar e remover temas, applets, desklets e muito mais. O melhor de tudo é que isso funciona muito bem, sem ser muito simplista ou cheio de opções incompletas. Por último, mas não menos importante, o Mint também oferece um pacote focado em desenvolvedores, mas isso é principalmente compiladores e ferramentas de linha de comando.

Analisador de disco

Um velho amigo do Ubuntu também está disponível no Mint, e dá-lhe uma representação agradável e colorida de seu uso do disco. Pode ser útil, especialmente se você estiver com pouco espaço. Sendo uma ferramenta Gnome, ela vem com suas próprias decorações e sombras, e não se encaixa muito bem com o tema do sistema.

Ferramenta para verificar o uso do disco rígido

Discos

Esta é outra ferramenta razoavelmente útil com sua própria atitude rebelde.

Ferramenta para verificar os discos

Concluindo

O software funciona bem e tem mais valor para iniciantes, que são menos inclinados a mexer e mexer na linha de comando. Alguns dos programas precisam de algum polimento, seja funcional ou visual. Apesar de tudo, embora não seja o mais perfeito no universo, as ferramentas do Mint ainda permitem que essa distro retenha sua vantagem qualitativa e mantenha sua independência em um mundo cheio de mediocridade. Vale a pena explorar, com certeza. Então, por que você não dá uma olhada?

Samuel Barbosa
É servidor público na Rede Federal de Educação, Técnico em Informática e graduando no curso de superior de tecnologia em Sistemas para Internet, amante de violão, guitarras e software livre.

#12 – Administração de Sistemas Linux – Dividir e juntar arquivos com o split e cat

Previous article

Nvidia 390.67 lançado para Linux, FreeBSD e Solaris

Next article

You may also like