Notícias

19/11/2021 às 11:00

6 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

Microsoft entra no TOP10 de supercomputadores com Ubuntu Linux

O Windows está fora da lista dos TOP.

Microsoft entra no TOP10 de supercomputadores com Ubuntu Linux

A Microsoft tem cada vez mais razões para supostamente amar o Linux, até pelo uso cada vez mais intenso do sistema operacional concorrente. Uma prova disso é que a Microsoft acaba de entrar para a selecionadíssima lista TOP10 das empresas que possuem supercomputadores com uma equipe que trabalha com Linux e não, como se poderia supor, com o Windows. Tudo isso graças ao Microsoft Azure. Portanto, a Microsoft só entra no TOP10 de supercomputadores com a distribuição Ubuntu Linux.


A Microsoft Azure desenvolveu um supercomputador chamado Voyager-EUS2 que, na última atualização (semestral) da lista TOP500, conseguiu ficar entre as 10 primeiras posições graças ao seu poder de 30 petaflops por segundo (muito longe do primeiro colocado, ocupada pelo japonês Fugaku, de 442 petaflops).

Flops são uma unidade de medida que expressa as operações de ponto flutuante por segundo que um computador pode realizar.

Microsoft entra no TOP10 de supercomputadores com Ubuntu Linux

De acordo com TOP500.org, “Voyager-EUS2, um sistema Microsoft Azure instalado pela Microsoft nos EUA” – especificamente na região Azure East US 2 – “é o único sistema novo no TOP10” e o único membro de uma nuvem pública em uma posição de destaque. Na verdade, com isso já existem cinco supercomputadores que o Azure, a nuvem da Microsoft, tem em toda a lista TOP500.

Sua arquitetura é baseada no uso de um processador AMD EPYC com 48 núcleos e 2,45 GHz que funciona em conjunto com uma GPU NVIDIA A100 com 80 GB de memória, e usa um Mellanox HDR Infiniband para transferência de dados.

Toda essa tecnologia está sendo colocada a serviço de grandes organizações que buscam alugar seu poder de computação para treinar modelos de inteligência artificial em áreas como visão computacional, reconhecimento de voz, pesquisa de texto ou tradução de idiomas.

Windows fora da lista TOP

Mas se você estava ansioso para ver um supercomputador rodando Windows 11, não teve sorte: ironicamente, o Voyager-EUS2 não funciona com Windows mas Linux; especificamente com Ubuntu 18.04 LTS. Parece estranho, embora não tanto na atual Microsoft , que não tem uma, mas duas distribuições do sistema operacional criado por Linus Torvalds.

Além disso, o oposto (usando MS Windows) também teria sido inesperado, já que desde o final de 2017 100% dos supercomputadores TOP500 executam sistemas Linux, em seus vários sabores (embora Fugaku simultaneamente também execute um sistema operacional leve chamado McKernel). Apenas 13 anos antes, os supercomputadores Linux estavam em 50%.

Microsoft entra no TOP10 de supercomputadores com Ubuntu Linux

O último ‘sabor’ do Windows que marcou presença no TOP500 (e que ficou às portas do TOP10).

O Windows teve duas edições para supercomputadores ao longo da história: Windows Compute Cluster Server 2003 e Windows HPC Server 2008. Magic Cube, um dispositivo desenvolvido pela Universidade de Xangai e equipado com o último sistema operacional, alcançou em 2008 a posição mais alta já ocupada por um Windows no TOP500: 11º (com 180,6 teraflops), e permaneceu na lista até sua aposentadoria em 2015. Depois disso, o Windows desapareceu dessa lista.

Clique aqui para conhecer a lista dos TOP 500.

Via Genbeta

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.