O Automotive Grade Linux recebe apoio da Toyota e da Amazon

O software de código aberto já foi algo de que grandes empresas se esquivaram, mas ao longo dos últimos anos, ele fez incursões em praticamente todas as empresas. Com Automotive Grade Linux (AGL), a Linux Foundation hospeda um projeto que visa trazer o código aberto para a indústria automobilística. Como o grupo AGL anunciou na CES em Las Vegas, a Toyota agora está usando AGL em sua produção e a Amazon se inscreveu para apoiar o projeto.

A Toyota está usando o AGL no Camry 2018. A Amazon optou por apoiar o projeto no nível prata. Com isso, a Toyota se junta a outros fabricantes de carros como Ford, Mazda, Honda, Subaru e Suzuki, e também alguns de seus fornecedores como Denso, Panasonic, LG e gigantes da indústria de chips como Nvidia, Intel e ARM.

No geral, a fundação tem agora 110 empresas associadas. Com a NTT Data, a organização também trouxe recentemente uma importante empresa de telecomunicações.

Também estamos em discussão com muitos dos grandes fornecedores de equipamentos de telecomunicações. Você sabe, os Ciscos do mundo e os Ericssons do mundo. Todos eles têm algum tipo de grupo de carros conectados e estão todos interessados . Disse Dan Cauchy, diretor executivo da AGL.

A adesão da Toyota dá ao produto outro grau de validação, e Cauchy observou que isso também significa que a empresa vai estimular a adesão a AGL para seus fornecedores.

Chegamos a um ponto em que a AGL estará por perto por muito tempo. Estaremos por aí por algumas décadas – eu acho que sim – se não mais. Porque uma vez que estamos nesses planos, é difícil sair. Disse Cauchy.

O mais interessante, é que a AGL está agora procurando expandir seu horizonte além do infoentretenimento. Atualmente, o tema mais cotado no setor automotivo é a condução autônoma, é claro, para que isso ocorra, as peças fundamentais dentro da Linux Foundation e da AGL estão se unindo. Com isso, a loja www.lojapecasauto.pt acredita em um aumento no mercado de peças automotivas nos próximos anos, tudo isso, porque aqueles que não gostam de dirigir, poderão ter um carro com condução autônoma.

Assim como fizemos com o infoentretenimento, acho que há necessidade de uma plataforma comum no lado autônomo. Porque seria reinventar a roda. Meu pensamento é combinar várias coisas em que a Linux Foundation está trabalhando. – Disse Cauchy. 

A principal peça aqui é o Linux em tempo real. Mas a AGL também vem trabalhando na segurança de seus sistemas (porque você não pode ter um cracker invadindo seu carro autônomo), bem como soluções de telemática e um projeto de mapeamento que permitirá aos fabricantes de carros compartilhar abertamente os dados de mapeamento que eles gerem a partir de seus carros autônomos. É a plataforma de segurança funcional em que o grupo está trabalhando, no entanto, é o cerne deste projeto.

A plataforma que estou pensando deve ter o Linux certificado, crítico em torno da segurança, com radar, sensor, câmera, juntamente com todos os drivers de dispositivo possíveis. Em seguida, adicione alguns padrões da indústria, como o OpenCV, em seguida, obtenha algumas contribuições para alguns dos OEMs.

O grupo pode conceber seu próprio sistema de direção autônoma ou fornecer as APIs para permitir que os fabricantes tragam seus próprios IAs. O que está claro, porém, é que depois de fazer uso do código aberto para o mundo do infoentretenimento do seu futuro carro, agora o foco está voltado para a direção autônoma e o ecossistema que está se desenvolvendo em torno disso. Vamos aguardar que em breve teremos carros sendo dirigidos por uma IA usando o Linux puramente.

Redação
Este usuário é utilizado quando um post é migrado de um usuário para outro, ou quando alguém envia um conteúdo ao SempreUPdate.

    Chrome 71 vai bloquear sites com anúncios abusivos em dezembro deste ano!

    Previous article

    Pesquisador encontra vulnerabilidade zero-day no VirtualBox

    Next article

    You may also like

    More in Notícias