O que a IA e a IA generativa podem fazer pelos governos?

Transformando a Administração Pública: Como a Inteligência Artificial e a IA Generativa Podem Revolucionar os Serviços Governamentais

Redação SempreUpdate
5 minutos de leitura

Poucas tecnologias conquistaram o mundo como a Inteligência Artificial (IA) tem feito ao longo dos últimos anos. Seus muitos casos de uso tornaram-se tema de discussão pública e não mais restrita aos especialistas em tecnologia. A IA generativa, em particular, tem um tremendo potencial para transformar a sociedade como conhecemos para o bem, impulsionar a produtividade e desbloquear trilhões economicamente nos próximos anos.

Quando a IA é implementada de forma responsável, onde a tecnologia é totalmente administrada, a privacidade é protegida e a tomada de decisão é transparente e explicável, ela tem o poder de ser utilizada em uma nova era de serviços governamentais. Tais serviços podem empoderar os cidadãos e ajudar a restaurar a confiança nas entidades públicas, melhorando a eficiência da mão de obra e reduzindo custos operacionais no setor governamental.

Apesar das muitas vantagens potenciais, muitas agências públicas ainda estão tentando entender como implementar IA e IA generativa. Em muitos casos, elas enfrentam uma escolha: podem abraçar a tecnologia e suas vantagens, tateando seu potencial para ajudar a melhorar a vida dos cidadãos que servem; ou ficar à margem e arriscar perder a capacidade da IA para ajudar instituições públicas a cumprir mais eficazmente os seus objetivos.

Três principais áreas de foco

A nosso ver, há três áreas principais onde as instituições públicas devem se concentrar para se beneficiar da IA.

Por Diego Bassante, Líder de Relações Governamentais para a IBM América Latina

A primeira é a transformação de mão de obra. Em todos os níveis dos governos, de entidades nacionais aos governos locais, os funcionários públicos devem estar prontos para essa nova era da IA. Embora isso possa significar a contratação de novos talentos, também deve significar proporcionar aos profissionais já existentes o treinamento que precisam para gerenciar projetos relacionados à IA. Com isso a produtividade melhorará, já que as tecnologias como o processamento de linguagem natural (PLN) prometem aliviar a necessidade de leitura e análise de dados de textos densos. O objetivo é liberar tempo para que os funcionários públicos se engajem em reuniões de alto valor, pensamento criativo e trabalho significativo.

O segundo grande foco deve ser o apoio cidadão. Para a IA beneficiar verdadeiramente a sociedade, o setor público precisa priorizar casos de uso que beneficiem diretamente as pessoas. Há potencial para uma variedade de usos no futuro, seja fornecendo informações em tempo real, personalizando serviços com base em necessidades particulares de um cidadão, ou agilizando processos que tenham reputação de serem lentos.

Em terceiro lugar, a AI também está se tornando um componente crucial dos esforços de transformação digital do setor público. Os governos são regularmente impedidos de realizar uma verdadeira transformação digital por sistemas legados com regras de fluxo de trabalho fortemente acopladas que requerem esforço substancial e custo significativo para se modernizar. Por exemplo, as agências do setor público podem aproveitar melhor os dados, migrando certos sistemas tecnológicos para a nuvem e infundi-los com IA. As ferramentas de IA têm o potencial de ajudar com a detecção de padrões de armazenamento de dados, e também ser capaz de escrever programas de computador. Isso poderia beneficiar a otimização de custos e também fortalecer a segurança cibernética, pois ela pode ajudar a detectar ameaças rapidamente . Dessa forma, em vez de buscar habilidades de difíceis de serem encontradas, as agências podem reduzir a lacuna de habilidades e explorar talentos em evolução.

Compromisso com a IA responsável

Por último, mas não menos importante, na visão da IBM, nenhuma discussão de IA responsável no setor público está completa sem enfatizar a importância do uso ético da tecnologia ao longo de seu ciclo de vida, desenvolvimento, uso e manutenção, algo que a IBM promoveu no setor durante anos. Junto com organizações de saúde e entidades de serviços financeiros e entidades do setor público devem se esforçar para serem vistas como as instituições mais confiáveis. Isso significa que as pessoas devem continuar no centro dos serviços prestados pelos governos enquanto o monitoramento para a implantação responsável passa a contar com cinco propriedades fundamentais para IA confiável: explicabilidade, equidade, transparência, solidez e privacidade.

Share This Article
Os artigos vinculados à este usuário são de terceiros. A informação aqui contida não foi elaborada originalmente por nós do SempreUpdate. Mas, publicamos conforme solicitação, envio ou recomendações do próprio autor, assessoria e outros departamentos comerciais ou não comerciais.