Top malware de fevereiro revela que roubo de credenciais bancárias segue em alta no Brasil

No Brasil, o cavalo de Troia Remcos ocupou o segundo lugar na lista nacional de ameaças em fevereiro

Jardeson Márcio
4 minutos de leitura

O malware Remcos retornou ao índice dos dez primeiros malwares no mês de fevereiro, ocupando o oitavo lugar no ranking. No Brasil, o malware Qbot, um cavalo de Troia sofisticado que rouba credenciais bancárias e digitação de teclado, segue liderando a lista nacional pelo terceiro mês consecutivo, mantendo alto impacto nas organizações no país com índice recorde próximo a 20%. Abaixo, seguem mais detalhes sobre os principais malwares do mês, vulnerabilidades e setores atacados em fevereiro de 2023 no Brasil e no mundo no índice de impactos globais da Check Point Research (CPR).

Top malware fevereiro

No Brasil, o cavalo de Troia Remcos ocupou o segundo lugar na lista nacional de ameaças em fevereiro com impacto de 7,32%. Contudo, o malware Qbot prosseguiu na liderança da lista nacional pelo terceiro mês consecutivo, mantendo alto impacto nas organizações no Brasil com índices de 16,58% em dezembro de 2022, 16,44% em janeiro de 2023 e 19,84% em fevereiro.

Principais famílias de malware

Em fevereiro passado, o Qbot foi o malware mais difundidos no mês com um impacto de mais de 7% das organizações em todo o mundo, seguido pelo Formbook com 5% e Emotet com 4%.

A lista global completa das dez principais famílias de malware em fevereiro de 2023 pode ser encontrada no blog da Check Point Software.

Principais setores atacados no mundo e no Brasil

Quanto aos setores, em fevereiro, Educação/Pesquisa firmou-se na liderança da lista como o setor mais atacado globalmente, seguido por Governo/Militar e Saúde. Esses são os mesmos setores que ocupam as mesmas posições na lista global da Check Point Software desde o mês de agosto de 2022.

No Brasil, os três setores no ranking nacional mais visados em fevereiro passado foram: Governo/Militar; Saúde e; Utilities.

Principais vulnerabilidades exploradas

Em fevereiro, a equipe da CPR também revelou que a “Web Servers Malicious URL Directory Traversal” foi a vulnerabilidade mais explorada, impactando 47% das organizações no mundo, seguida pela “Web Server Exposed Git Repository Information Disclosure”, ocupando o segundo lugar com impacto global de 46% das organizações. A “Apache Log4j Remote Code Execution” ocupou o terceiro lugar das vulnerabilidades com um impacto global de 45%.

Principais malwares móveis globais e no Brasil

Em fevereiro, o Anubis permaneceu em primeiro lugar como o malware móvel mais difundido, seguido por Hiddad e AhMyth; ranking global igual ao mês de janeiro.

O índice de ameaças do Brasil teve como principal malware o Qbot com impacto de 19,84%, pelo terceiro mês consecutivo um índice que foi mais que o dobro do impacto global (7,18%). O Remcos, um Remote Access Trojan (RAT) que se distribui por meio de documentos maliciosos do Microsoft Office anexados a e-mails de spam, aparece em segundo lugar na lista do Brasil com impacto de 7,32%; e o AgentTesla ficou em terceiro com 6,07% de impacto.

top-malware-de-fevereiro-revela-que-roubo-de-credenciais-bancarias-segue-em-alta-no-brasil

O Índice de impacto de ameaças globais da Check Point Software e seu mapa ThreatCloud são alimentados pela inteligência ThreatCloud da Check Point, a maior rede colaborativa que fornece inteligência de ameaças em tempo real derivada de centenas de milhões de sensores em todo o mundo, em redes, endpoints e dispositivos móveis. A inteligência é enriquecida com mecanismos baseados em IA e dados de pesquisa exclusivos da divisão Check Point Research (CPR).

Share This Article
Follow:
Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.