Wayland Protocols 1.30 apresenta novidades na tela

A única mudança é um novo protocolo de preparação para permitir o tearing opcional.

Claylson Martins
3 minutos de leitura

Desde o seu surgimento, o Wayland tem quase como um mantra que “cada quadro é perfeito ” e renunciaria ao screen tearing entre outras impurezas de renderização. Assim, o Wayland tornou-se uma das principais alternativas ao servidor X.Org. Agora, com o Wayland Protocols 1.30, porém, há um novo protocolo de preparação para permitir o chamado Screen Tearing.

Wayland Protocols 1.30 foi lançado e a única mudança é um novo protocolo de preparação para permitir o tearing opcional. O novo protocolo de controle de rasgo permite que os clientes informem aos compositores que o conteúdo de sua superfície pode “rasgar” se necessário – mostrando uma mistura de conteúdo de superfície antigo/novo.

A intenção com este protocolo de controle de rasgo é para software sensível à latência, como jogos e programas de tablet de desenho gráfico, para rasgar, se necessário, a fim de reduzir a entrada para a latência da tela.

Os clientes podem usar o protocolo de controle de tearing para indicar que estão bem com o tearing por meio de virada de página assíncrona. O protocolo tearing_control_v1 vem sendo trabalhado desde o ano passado pelo desenvolvedor do KDE, Xaver Hugl.

Wayland Protocols 1.30 apresenta novidades na tela

Wayland Protocols 1.30 apresenta novidades na tela

A nova especificação tearing_control_v1 se resume a:

Para alguns casos de uso, como jogos ou tablets de desenho, pode fazer sentido reduzir a latência aceitando rasgos com o uso de viradas de página assíncronas. Esse global é uma interface de fábrica, permitindo que o cliente informe para qual tipo de apresentação o conteúdo de suas superfícies é adequado.

APIs gráficas como EGL ou Vulkan, que gerenciam a fila de buffer e as confirmações de um wl_surface, provavelmente usam essa extensão internamente. Se um cliente estiver usando essa API para um wl_surface, ele não deve usar essa extensão diretamente nessa superfície, para evitar gerar um erro de protocolo tearing_control_exists.

O objetivo, é claro, é conseguir nenhum rasgo de tela e, por padrão, esse protocolo não altera o comportamento do cliente ou o comportamento pretendido do compositor Wayland em relação ao Screen Tearing.

Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.