Encerrar o Unity foi apenas a ponta do iceberg das mudanças na Canonical

Grandes mudanças estão acontecendo na Canonical

Segundo o anuncio feito na quarta-feira pelo fundador da Canonical, Mark Shuttleworth, o fim do desenvolvimento do Unity, Mir e Ubuntu Phone ocorreu devido ao baixo rendimento financeiro que traziam. Mas o fim desses projetos, é apenas a ponta do iceberg das grandes mudanças que estão acontecendo na Canonical.

Vendo os anúncios de seus executivos e observando os últimos movimentos da empresa, a Canonical parece estar se afastando da área de desktops, onde é quase impossível ganhar dinheiro, e passando a se focar mais em seus serviços da Nuvem, onde a Canonical recentemente encontrou sucesso e um fluxo constante de renda.

A idéia de que a Canonical estava apenas transferindo recursos do desktop e do telefone para a nuvem e IoT foi reforçada por um anúncio no mesmo dia de Udi Nachmany, o chefe da nuvem pública da empresa, de um kernel do Ubuntu especificamente ajustado para a AWS.

No entanto, pode haver mais nessa história do que a nuvem versus o desktop. Grandes mudanças estão em cursos na Canonical.

Não muito tempo depois que Shuttleworth fez seu anúncio, o site The Register informou que mais da metade dos funcionários que trabalhavam no projeto Unity foram demitidos. O artigo disse também que outros departamentos do Ubuntu também estavam passando por grandes demissões.

“Os empregos também estão acontecendo em outras partes da organização. Os cortes ocorreram após a decisão do fundador da Canonical e milionário Mark Shuttleworth de buscar potenciais investidores externos, que determinaram que a Canonical estava com excesso de pessoal e alguns projetos careciam de foco”.

De acordo com The Register, estes cortes de funcionários variaram de 30 a 60 por cento por departamento.

“Os cortes fizeram parte de um pacote para que os departamentos funcionassem de acordo com o que Shuttleworth chamou de métricas de ‘padrão da indústria’- receita, custos e margens. Ele não comentou os números de 30 e 60 por cento mas admitiu que haviam ‘ajustes’ fora do Unity”.

Em outras palavras, a Canonical se concentrará mais na rentabilidade, que, além de cortes de empregos, significa a eliminação de projetos que não estão sendo monetizados. Isso significa que a edição desktop provavelmente está destinada a ser descontinuada, especialmente porque os usuários terão muitos derivados e oficialmente aprovados (Ubuntu MATE, Ubuntu, Budgie, etc) como opções.

Durante vários anos, os especialistas da área empresarial estão olhando para o dia em que Shuttleworth se cansará de gastar o seu próprio dinheiro na empresa em que fundou. Parece que o dia chegou e que ele está aparando as “gorduras” para atrair investidores.

Mais mudanças podem acontecer. Michael Larabel, responsável por manter o site Phoronix relatou que Shuttleworth pode voltar a ser CEO da Canonical, substituindo Jane Sible.

Comentários