AMD anuncia mais novidades para Linux

Claylson Martins
4 minutos de leitura

A AMD não para de anunciar mais e mais novidades para Linux. A todo momento, há uma boa surpresa para quem usa o sistema operacional. Embora o driver AMD P-State esteja funcionando muito bem para sistemas Ryzen já com o padrão no Linux 6.5, esperam lançar a funcionalidade AMD “Preferred Core”. Uma oitava versão desses patches saiu nesta semana para aproximar esse recurso do kernel principal.

Há vários meses, os engenheiros da AMD Linux têm trabalhado no suporte do Preferred Core para Linux. CPUs AMD desde a série Ryzen 3000 (Zen 2) têm a noção de “núcleos preferenciais” que via ACPI CPPC são comunicados ao sistema operacional e podem ser mostrados no Windows com nomes como AMD Ryzen Master. Com os patches de driver AMD P-State em andamento, esse manuseio preferencial de núcleos está finalmente chegando ao Linux. Com este código pendente está a capacidade de ter uma classificação de núcleo mantida dinamicamente com base na carga de trabalho e nas condições da plataforma para poder ajudar o agendador do kernel com o posicionamento ideal de tarefas para frequências/desempenho mais altos e tensões mais baixas em alguns casos também.

Os patches v8 têm algumas aprovações de revisão adicionais, bem como algumas outras mudanças básicas. No geral, parece que as coisas estão se acalmando para o suporte ao AMD P-State Preferred Core, dando-nos esperança de que ele possa ser potencialmente principal para o próximo ciclo do Linux 6.7. Por enquanto, os patches estão apenas flutuando na lista de discussão do kernel e ainda não estão na fila da árvore “-next” de gerenciamento de energia. Veremos o que acontece nas próximas semanas. Tenho executado alguns benchmarks AMD Preferred Core em um Ryzen 9 7950X3D no Linux e compartilharei esses números em alguns dias.

AMD anuncia mais novidades para Linux

AMD anuncia mais novidades para Linux

Os engenheiros de driver gráfico Linux da AMD continuam ocupados trabalhando na habilitação de processadores gráficos de próxima geração com seu driver upstream de código aberto.

Nos últimos meses, houve a ativação do bloco gráfico GFX 11.5, o bloco de exibição DCN 3.5 e a ativação de outros novos blocos de propriedade intelectual (IP) apontando para uso potencial em um produto do tipo RDNA3.5/”atualização RDNA3″. Hoje estão disponíveis patches que permitem o SMU 14.0 como uma atualização aparentemente grande para esse bloco.

A SMU nos processadores gráficos AMD Radeon é efetivamente a unidade de gerenciamento do sistema que executa o firmware de gerenciamento de energia e é responsável por diversas tarefas de gerenciamento de energia da GPU.

Um conjunto de 5 patches habilita o suporte SMU 14.0 para o driver gráfico do kernel AMDGPU. O novo código tem 3,7 mil linhas para habilitar o SMU 14.0, em parte devido ao código gerado automaticamente. O novo código não revela quaisquer detalhes importantes sobre quaisquer alterações no gerenciamento de energia que ocorrerão com os gráficos AMD de próxima geração. De qualquer forma, é bom ver esse código continuar a fluir no pré-lançamento, para que, idealmente, seja todo upstream no kernel Linux principal antes de qualquer processador gráfico aparecer com este novo IP.

Fonte

Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.