in

Após boicote da Microsoft, Huawei se aproxima do Linux

Aprimoramentos do driver de notebook da Huawei Linux no caminho

Após boicote da Microsoft, Huawei se aproxima do Linux

Enquanto a Microsoft está cortando seu relacionamento com a Huawei, aqueles com laptops da Huawei podem encontrar uma melhor experiência no Linux. Assim, a empresa chunesa Huawei se aproxima do Linux após boicote da Microsoft imposto pelo governo norte-americano.

Modelos já usam Linux

Os laptops da Huawei já funcionaram bem no Linux, como o MateBook, enquanto outras melhorias estão por vir, como é comum em laptops x86 com vários caprichos e outros bits de suporte não padrão. Um patch foi enviado para melhorar o driver do laptop Huawei existente no kernel Linux. Na verdade é uma grande mudança. O driver deixa de atender apenas uma funcionalidade de teclados (atalho WMI) para agora ser um driver de plataforma com funcionalidade extra.

A funcionalidade adicional deste driver Huawei-WMI Linux inclui:

  • o controle do LED mic/mute;
  • o controle dos limites de carregamento da bateria;
  •  o ajuste do estado de bloqueio de Fn;
  • e a funcionalidade relacionada.

Mais detalhes sobre como este driver de laptop para notebook da Huawei funciona através da lista de discussão do kernel.

Melhorias implementadas desde o final do ano passado

Algumas melhorias de suporte foram implementadas para o Huawei MateBook X, um leve ultrabook/laptop que visa a competir com o MacBook Pro da Apple.

Há um novo conjunto de correções postadas fornecendo suporte importante ao Linux atualmente ausentes nos MateBooks. Esses patches permitem que o Huawei MateBook X tenha teclas de atalho em alguns modelos que atualmente não são suportados e que os alto-falantes frontais funcionem. Também com esses patches, embora sem dúvida menos importante, o LED mudo do microfone agora funciona também.

O nível atual de suporte do Huawei MateBook X para o Linux parece estar em boa forma e melhor do que o mais recente hardware da Apple, mas trabalhar com teclas de atalho e alto-falantes certamente será útil para os interessados ??neste ultrabook.

Os interessados ??em saber mais sobre o MateBook X podem fazê-lo no site da Huawei nos EUA.

Linux substituirá o Windows em futuros laptops Huawei?

Após boicote da Microsoft, Huawei se aproxima do Linux
Huawei rodando o Elementary OS.

Qual é o futuro do Microsoft Windows em laptops da Huawei, como o MateBook X Pro? Muito pouco é oficialmente confirmado no momento da publicação, e a resposta é complicada.

Além do Google e Microsoft, Intel, Qualcomm e Broadcom, cortarão o fornecimento de componentes para a Huawei. Perder o acesso aos processadores da Intel obviamente afetará os futuros laptops da Huawei, mas e o sistema operacional da Huawei será lançado nesses dispositivos? E quanto à instalação do Windows 10 que você tem atualmente no seu laptop Huawei?

As complicações surgem quando começamos a falar sobre os futuros notebooks da Huawei.

Linux a caminho? Qual o caminho natural após boicote da Microsoft?

Sabemos que a Huawei se preparou para essa situação desenvolvendo seus próprios sistemas operacionais alternativos para Android e Windows, embora o estado do desenvolvimento seja desconhecido.

Sua alternativa do Windows é quase certamente uma distribuição Linux customizada. E não é exagero especular que a Huawei está apostando bem em seus próprios processadores. Já existem versões do MateBook X Pro original com ElementaryOS.

Se a proibição do governo dos EUA sobre a Huawei se concretizar, a Huawei não poderá mais obter licenças OEM (fabricante de equipamento original) diretamente da Microsoft. Então, vamos ver uma distribuição Linux pronta para uso nesses dispositivos, certo? Os defensores da FOSS e do Linux sonham com o dia em que um grande OEM não apenas pré-instala o Linux (como a Dell faz com o XPS 13 Developer Editions ), mas também o promove intensamente. Basta imaginar por um momento se uma distribuição Linux como a Deepin obtenha os recursos e o marketing da Huawei.

Esta é uma possibilidade difícil de se concretizar, mas não impossível. Não há nada que impeça a Huawei de obter licenças do Windows de terceiros. Não importa a sua posição no Linux e no código aberto, você não pode negar que a maioria do mundo quer o Windows. Isso seria uma solução cara e complexa? Sim, e provavelmente aumentaria o preço desses dispositivos futuros. E não fornecer isso prejudicaria significativamente o apelo popular de seus futuros laptops.

Então, novamente, a Huawei terá essa mesma batalha no espaço do smartphone, pois será forçada a introduzir seu sistema operacional personalizado em futuros dispositivos móveis. Talvez esteja preparado para travar a guerra em ambas as frentes.

De concreto, em meio a tantas especulações, são os efeitos paralisantes que essa proibição da Huawei terá sobre a indústria de tecnologia, afetando consumidores e desenvolvedores de aplicativos em todo o planeta.

Written by Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

LibreOffice vs. OpenOffice: quem vencerá a batalha entre as suítes de escritório no Linux?

LibreOffice vs OpenOffice: quem vencerá a batalha entre as suítes de escritório no Linux?

Huawei atrasa o Mate X, que deve ficar sem Android

Huawei já teria Hongmeng OS Linux para celulares e laptops