in

As baterias de carregamento rápido de vidro de lítio chegam na próxima etapa

Ela apresenta bom desempenho em clima quente e frio e seu eletrólito de estado sólido não é inflamável.

As baterias de carregamento rápido de vidro de lítio chegam na próxima etapa
Imagem: Reprodução | Fudzilla.

Baterias de carregamento rápido e não inflamáveis desenvolvidas em parte pelo vencedor do Prêmio Nobel de 2019 John Goodenough (foto acima) foram licenciadas para desenvolvimento pela empresa elétrica canadense Hydro-Québec.

As baterias de carregamento rápido de vidro de lítio

O plano astuto é ter as baterias prontas para um ou mais parceiros comerciais em dois anos.

A Hydro-Québec, de acordo com Karim Zaghib, diretor geral do Centro de Excelência em Eletrificação de Transporte e Armazenamento de Energia, comercializa patentes da instituição-mãe de Goodenough, a Universidade do Texas em Austin, pelos últimos 25 anos.

Goodenough e Maria Helena Braga, professora de engenharia da Universidade do Porto em Portugal, desenvolveram um lítio recarregável de estado sólido que usava um vidro dopado com metais alcalinos como eletrólito da bateria. O eletrólito é o material entre o cátodo e o ânodo e geralmente é um líquido nas baterias de hoje. Isso normalmente significa que também é inflamável e potencialmente vulnerável a queima de baterias.

Braga disse que a bateria dela e de Goodenough é de alta capacidade e carrega em “minutos, em vez de horas”. Além disso, ela apresenta bom desempenho em clima quente e frio e seu eletrólito de estado sólido não é inflamável.

Zaghib disse:

Nos próximos dois anos, pesquisamos e desenvolvemos para provar o conceito e dimensionar os materiais.

As baterias de carregamento rápido de vidro de lítio chegam na próxima etapa
O eletrólito é o material entre o cátodo e o ânodo e geralmente é um líquido nas baterias de hoje. Isso normalmente significa que também é inflamável e potencialmente vulnerável a queima de baterias.

Pesquisa e desenvolvimento de baterias

Além disso, o laboratório de pesquisa da Hydro-Québec, que Zaghib diz que compreende 120 pessoas, trabalha com ambas as tecnologias em estágio inicial, como a bateria de vidro de Goodenough, e também com tecnologias já em escala comercial.

Ainda mais, esta última categoria inclui outra invenção de Goodenough: a bateria de fosfato de ferro e lítio.

Zaghib acrescentou:

Este é um dos materiais mais seguros para o íon de lítio hoje. É usado para ônibus elétricos e para armazenamento de energia.

A partir de 1996, diz Zaghib, Goodenough e Hydro-Québec firmaram uma parceria para comercializar essa bateria de lítio. Por fim, os licenciados desta tecnologia incluem o agora A123, de propriedade chinesa, e a empresa japonesa de baterias Murata Manufacturing.

Fonte: Fudzilla