in

As fábricas da Sony estão funcionando sem parar devido à alta demanda por sensores de imagem

Telefones com várias lentes são bons para os negócios de chips

Os smartphones da Sony podem ter ficado para trás da concorrência nos últimos anos, mas a demanda por seus sensores de imagem é tão alta que suas fábricas de chips estão funcionando sem parar durante as festas de fim de ano.

Sony e a alta demanda por sensores de imagem

Conforme relatado pela Bloomberg, este é o segundo ano em que a Sony teve de operar suas fábricas dia e noite durante todo o feriado para tentar acompanhar a demanda de componentes.

Terushi Shimizu, chefe da unidade de negócios de semicondutores da Sony, disse:

Estamos tendo que pedir desculpas aos clientes porque simplesmente não conseguimos fabricar o suficiente.

Com os fabricantes de smartphones colocando um foco maior na qualidade e no número de câmeras que aparecem em seus dispositivos, os negócios de sensores da Sony entraram em cena. A empresa japonesa está dobrando seus investimentos neste segmento para US$ 2,6 bilhões este ano. Além disso, a empresa está construindo uma nova fábrica em Nagasaki, embora ela não fique pronta até abril de 2021.

Shimizu disse:

A julgar pela maneira como as coisas estão indo, mesmo depois de todo esse investimento em expansão de capacidade, ainda pode não ser suficiente.

Depois do PlayStation, os semicondutores são agora o segmento de negócios mais lucrativo da Sony.

As fábricas da Sony estão funcionando sem parar devido à alta demanda por sensores de imagem
Sensor de imagem da Sony. Foto: Reprodução | Tech Spot.

Expansão à vista

A Sony revelou no início deste ano que controla 51% do mercado de sensores de imagem. Seu objetivo é aumentar esse percentual para 60% até o ano fiscal de 2025. Além disso, a Sony espera que a demanda por sensores de tempo de voo (ToF) comece a aumentar no próximo ano, principalmente porque os iPhones de 2020 deverão apresentar sensores ToF. Eles medem o tempo necessário para que um feixe de infravermelho bata em um objeto e retorne ao sensor, permitindo informações de profundidade mais precisas que podem ajudar no desfoque de fundo e em fotografias com pouca luz.

Shimizu disse:

Este foi o ano zero para o ToF. Quando começarem a ver aplicações interessantes dessa tecnologia, isso motivará as pessoas a comprar novos telefones.

Em maio, a Sony disse que não venderia seu segmento não lucrativo de smartphones, que vende apenas 6,5 milhões de aparelhos anualmente. A empresa deve lançar um novo carro-chefe, o Xperia 3, na MWC em Barcelona em fevereiro de 2020.

Fonte: Tech Spot