in

As remessas de smartphones saídos da China podem cair 50% por causa do coronavírus

Muitas lojas de varejo na China estão fechadas por um período prolongado.

Pesquisadores estão construindo uma ferramenta para proteger suas fotos dos sistemas de reconhecimento facial
Usar uma máscara pode desencadear algumas das mais avançadas tecnologias de reconhecimento facial atualmente em uso.

O coronavírus está afetando a economia mundial e uma das áreas mais atingidas pode ser a venda de smartphones na China. Segundo analistas, as precauções tomadas contra o vírus podem levar à queda de 50% nas vendas dos aparelhos.

Vendas de smartphones da China são afetadas pelo coronavírus

O coronavírus interrompeu vários setores da indústria de tecnologia: de conferências canceladas a atrasos de remessas e inúmeras retiradas do evento MWC. Com muitas lojas de varejo na China fechadas por um período prolongado e atrasos na produção, a empresa de pesquisa Canalys espera que o maior mercado mundial de smartphones veja os envios cair pela metade no primeiro trimestre em comparação com um ano atrás.

A empresa escreveu:

O lançamento planejado de produtos dos fornecedores será cancelado ou atrasado, uma vez que grandes eventos públicos não são permitidos na China. Levará tempo para os fornecedores mudarem seus roteiros de lançamento de produtos na China, o que provavelmente reduzirá os envios [de remessas de smartphones com] 5G.

As remessas de smartphones saídos da China podem cair 50% por causa do coronavírus
Imagem: Reprodução | Tech Spot.

Além disso, a IDC, outro grande grupo de analistas, acredita que os embarques de smartphones na China cairão 30%. O analista da empresa, Will Wong, escreveu:

Os atrasos na reabertura de fábricas e o tempo de retorno da mão-de-obra não afetarão apenas os embarques para as lojas, mas também os tempos de lançamento do produto a médio e longo prazo.

A Reuters escreve que a empresa de pesquisa de mercado Trendforce cortou sua previsão de produção para iPhone em cerca de 10% para 41 milhões de aparelhos. Porém, a fornecedora Foxconn reiniciou a produção em sua fábrica de Zhengzhou, embora com apenas 10% da força de trabalho da fábrica. Ainda assim, a empresa não foi autorizada a reiniciar a produção em sua fábrica em Shenzhen.

A Huawei, que cancelou sua conferência de desenvolvedores por causa do coronavírus, retomou a produção de equipamentos para consumidores e operadoras e suas operações estão funcionando normalmente.

Fonte: Tech Spot