Notícias

05/07/2021 às 10:00

7 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

Audacity viola licença GNU e permite que dados dos usuários sejam compartilhados com compradores em potencial

Audacity agora é visto por muitos usuários como "spyware".

Audacity viola licença GNU e permite que dados dos usuários sejam compartilhados com compradores em potencial

No início de maio deste ano, o Audacity, o mais popular dos programas de edição de áudio, foi adquirido pelo Muse Group, empresa russa especializada em softwares musicais. Eles já atuam na área por meio de plataformas populares como MuseScore ou Ultimate Guitar. Essa compra gerou muita preocupação aos usuários com o futuro do programa. Agora, as suspeitas acabam por serem confirmadas. De acordo com as últimas informações, o Audacity viola licença GNU e permite que dados dos usuários sejam compartilhados com compradores em potencial.


O anúncio da mudança de propriedade foi acompanhado, pelo MuseGroup, por promessas de renovação da interface – um pedido comum da comunidade de usuários. Porém, logo ficou claro que suas prioridades eram diferentes: a primeira mudança de código incorporada (discretamente) ao repositório teve como objetivo a implementação de um sistema de telemetria que ninguém havia solicitado ou seja necessário para usar o Audacity.

A polêmica gerada fez com que num primeiro momento o MuseGroup optasse, se não suprimir o sistema de telemetria, pelo menos alterá-lo para que os dados não fossem coletados por terceiros (Google e Yandex), mas permanecessem nos servidores do Audacity.

De acordo com o chefe de desenvolvimento de software do MuseGroup, Martin Keary;

Presumimos que torná-lo opcional e desativado por padrão aliviaria as preocupações com a privacidade. [Mas] recorrer ao Google e ao Yandex foi o que (eu acho) convenceu algumas pessoas de que tínhamos intenções desonestas. Então, tiramos os dois. Fora da equação foi uma decisão fácil.

As coisas pioraram: o Audacity agora é visto por muitos usuários como “spyware”

Audacity viola licença GNU e permite que dados dos usuários sejam compartilhados com compradores em potencial

No entanto, esta (ligeira) melhoria passou a valer nada depois de uma alteração na política de privacidade da aplicação em vigor desde a sua última atualização (a 2 de julho), que permite à empresa recolher um maior número de dados de utilização e partilhá-los com autoridades estaduais, com “assessores” e com “compradores potenciais”.

Por “autoridades estaduais”, refere-se àquelas dos territórios onde a empresa está presente:

Todos os seus dados pessoais são armazenados em nossos servidores no Espaço Econômico Europeu . No entanto, ocasionalmente somos solicitados a compartilhar seus dados pessoais com nosso escritório principal na Rússia e com nosso consultor externo nos EUA.

A política de privacidade também especifica que os endereços IP reais dos usuários permanecem por um dia nos servidores do Audacity, permitindo a identificação do usuário se uma solicitação de dados for enviada por um dos governos mencionados.

Vamos adicionar outras alterações feitas aos termos de uso do programa para indicar que o uso do Audacity é restrito a menores de 13 anos ou para exigir que qualquer pessoa que modifique o código do aplicativo ofereça ao MuseGroup direitos ilimitados e irrestritos sobre essas novas linhas de código.

Audacity viola licença GNU e permite que dados dos usuários sejam compartilhados com compradores em potencial

Ambos os aspectos são totalmente incompatíveis com a natureza livre da licença GNU Audacity. O agravante é que o Audacity é um programa de código aberto: quando o MuseGroup o comprou, estava apenas adquirindo seu repositório, seu site oficial e sua marca (nome e logotipo), mas não o código em si porque pertence à comunidade.

E, justamente por isso, já começaram a exigir a criação de um fork do Audacity após a primeira polêmica em torno da telemetria. Os protestos se espalham e surgem alternativas no Reddit e no GitHub, por exemplo.

Vamos pensar que se a comunidade mudasse massivamente para um novo programa baseado no código-fonte do Audacity antes das primeiras mudanças introduzidas pelo MuseGroup, as decisões erradas dessa empresa se tornariam absolutamente irrelevantes.

Via Genbeta

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Mais lidas

Últimos posts

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
×