in

China vai substituir todo o hardware e software estrangeiro de instituições públicas até 2022

Isso é uma tentativa de aumentar sua dependência de tecnologia doméstica em meio às atuais sanções dos EUA.

China tem uma lista negra que pode ser usada para punir empresas de tecnologia americanas

Em meio à guerra comercial entre EUA e China, o país asiático pretende se tornar tecnologicamente independente da indústria de semicondutores dos EUA. Um passo importante nessa direção é uma ordem aprovada pelo Partido Comunista da China, para pressionar o governo e as instituições públicas a substituir hardware e software fabricados no exterior por produtos locais.

China vai substituir todo o hardware e software

Dado o seu impacto nas empresas americanas que mantêm negócios com o governo chinês, como Dell, HP e Microsoft, a diretiva deveria ser implementada em sigilo. Foi assim até que detalhes sobre sua existência vazaram para o Financial Times.

Embora os documentos estratégicos permaneçam confidenciais, funcionários de duas empresas de segurança cibernética, com base no anonimato, confirmaram a nova diretiva pelo jornal Financial Times depois de tomar conhecimento dela através de clientes do governo.

China vai substituir todo o hardware e software estrangeiro de instituições públicas até 2022
Os equipamentos de fabricação estrangeira em uso oficial serão substituídos por produtos fabricados localmente por empresas como Huawei e ZTE. Imagem: Reprodução | Tech Spot.

Segundo a publicação, a diretiva veio diretamente do Escritório Central do Partido Comunista Chinês no início deste ano. Além disso, a medida resultará em cerca de 20 a 30 milhões de peças de hardware que precisarão ser substituídas ao longo de três anos.

A China se refere internamente à política como 3-5-2, o que indica o ritmo em que as substituições serão realizadas. Até o final do próximo ano, 30% dos equipamentos de fabricação estrangeira em uso oficial serão substituídos por produtos fabricados localmente por empresas como Huawei e ZTE, entre outras. O plano terá como alvo outros 50% do equipamento em 2021, e os 20% restantes serão substituídos em 2022.

Por enquanto, esta diretiva não se aplica a empresas chinesas privadas. Além disso, será um desafio para as agências governamentais da China substituir todo o hardware e software. Isso acontece porque a maioria delas usa PCs da Lenovo, equipados com hardware (Intel) e software (MS Windows) fabricados nos EUA.

Fonte: Tech Spot

Leia também:

A partir de 2020, a China exigirá que os vídeos criados usando Inteligência Artificial ou Realidade Virtual sejam claramente marcados