in

Collabora adiciona melhorias de desempenho para gamers no Kernel 5.2

Sistemas operacionais Android também se beneficiarão da mudança.

Collabora adiciona melhorias de desempenho para gamers no Kernel 5.2

Com a série de kernel Linux 5.2 pronta para implementações em massa, é hora de dar uma olhada nas contribuições feitas pelos engenheiros da Collabora para este ciclo. O Collabora continua muito ativo no desenvolvimento do kernel Linux e durante o ciclo de desenvolvimento da série de kernel Linux 5.2.  Assim, a equipe formada por 11 engenheiros do kernel criou nada menos que 61 patches, assinados em um total de 131 mudanças, testadas 47 correções, reconheceu outras 9 correções e sugeriu 4 mudanças implementadas por outros desenvolvedores do kernel. Assim, o Collabora adiciona melhorias de desempenho para gamers no Kernel 5.2.

As principais melhorias de desempenho que o Collabora adiciona para gamers no Kernel 5.2

Collabora adiciona melhorias de desempenho para gamers no Kernel 5.2

No entanto, a contribuição mais importante feita pelo Collabora para o kernel Linux 5.2 é a implementação da funcionalidade sem distinção entre maiúsculas e minúsculas para o sistema de arquivos EXT4. Ele é usado por padrão por quase todas as distribuições GNU/Linux. Essa alteração proporcionará melhorias importantes no desempenho de vários programas emulados, como jogos em execução no Wine.

Esse recurso, que há muito tempo está na lista de desejos de desenvolvedores do Android e jogadores do Linux, permite que os programas procurem por um arquivo independentemente do nome do arquivo original, ou pequenas variações nome, como a forma do sotaque, de uma forma muito otimizada, explica Gabriel Krisman Bertazi em um post recente.

Contribuições do Collabora para o kernel do Linux 5.2

Collabora adiciona melhorias de desempenho para gamers no Kernel 5.2

Além disso, há uma importante mudança de desempenho. Então, as contribuições de Collabora para o kernel Linux 5.2 incluem:

  • melhor manuseio da internacionalização de nomes de arquivos por vários sistemas de arquivos;
  • melhorias em dispositivos MCU de touchpad e impressões digitais em Chromebooks;
  • bem como suporte Mali para Rock Pi 4 e Rock960 boards baseados em Rockchip RK3399;
  • Eles também adicionaram algumas correções de bugs para os novos drivers Panfrost DRM e vimc;
  • adicionaram suporte para formatos Bayer ao video4linux;
  • corrigiram atualizações assíncronas em vários drivers DRM;
  • abordaram alguns problemas de mapeamento de dispositivos que ocorreram ao inicializar o sistema sem um espaço de usuário inicial;
  • VPU aprimorado suporte para a plataforma Rockchip;
  • e corrigidos vários outros bugs.

Fonte

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Sailfish OS 3.1 é lançado

Sailfish OS 3.1 é lançado

Arquitetura Ubuntu OpenStack será usada no 5G

Arquitetura Ubuntu OpenStack será usada no 5G