in

Como ativar o AMD Radeon FreeSync no Linux 5.0

Uma das perguntas mais frequentes nas últimas semanas foi como ativar o suporte recentemente adicionado ao FreeSync no Linux.

Como ativar o AMD Radeon FreeSync no Linux 5.0

Conforme anunciado no novo Linux 5.0, agora há suporte nativo para o FreeSync. Veja aqui como  ativar o suporte recentemente adicionado ao FreeSync no Linux. É claro que primeiro você precisa de um monitor e uma placa gráfica compatíveis que suportem FreeSync/Adaptive-Sync. Felizmente, há muitos monitores FreeSync atualmente, incluindo muitos a preços acessíveis. Quanto às GPUs, qualquer placa de vídeo AMD Radeon recente no driver do kernel AMDGPU deve funcionar. 

As mudanças

Anteriormente, a AMD oferecia suporte FreeSync via pacote de driver híbrido com seu módulo DKMS na Radeon Software. Porém, agora é já vem por padrão se você estiver no Linux 5.0. Para usuários do Ubuntu, você pode pegar o novo kernel do Linux 5.0 aqui se não quiser construir você mesmo.

Imagens: Phoronix

O que é preciso?

Para utilizar o FreeSync, você precisa estar usando o driver DDX xf86-video-amdgpu. Você pode verificar isso procurando “AMDGPU” no Xorg.0.log. Você também precisa do Xorg.conf para ativar a opção do driver “VariableRefresh” AMDGPU DDX. O uso do DDX xf86-video-modesetting não é suportado no momento. Seu driver xf86-video-amdgpu também tem que ser relativamente novo, mas tal driver X.Org suportado pode ser encontrado no PPA do Padoka.

Depois de ativar a opção VariableRefresh e reiniciar o servidor X.Org, você pode verificar se o DDX é novo o suficiente e se a opção está funcionando, garantindo que o VariableRefresh seja mencionado com êxito no log do Xorg.

Você também pode verificar via xrandr –props que vrr_capable está definido como “1” nos monitores FreeSync conectados. Isso vai garantir que a tela realmente seja capaz de atualizar o FreeSync / Variable Rate.

Além disso, seu build do Mesa precisa ser pelo menos o Mesa 19.0 para ter os bits necessários de FreeSync/VRR no lugar. Os usuários do Ubuntu podem aproveitar o Padoka Pado para uma versão suportada do Mesa, bem como o xf86-video-amdgpu e que combina bem com o kernel Linux 5.0 principal.

Alerta

Observe também que os jogos Vulkan não são suportados neste momento para FreeSync por drivers RADV ou AMDVLK. Do mesmo modo, observe que o Mesa possui uma lista negra de vários compositores de desktop, navegadores da Web e players de mídia que permitem o suporte ao FreeSync. Neste ponto, infelizmente, o processo de configuração não é orientado por GUI, como o novo suporte ao Linux compatível com G-SYNC (Adaptive-Sync) da NVIDIA.

AMDVLK 2019.Q1.7 oferece correções no Driver Vulkan oficial de código aberto da AMD

A AMD está de volta com as novidades relacionadas aos códigos AMDVLK que compõem seu driver oficial de código aberto Vulkan Linux. 

O AMDVLK 2019.Q1.7 foi lançado para substituir a versão 2019.Q1.6 da última terça-feira. Não há nenhum recurso notável introduzido neste novo código, mas várias correções. Existem algumas correções notáveis, incluindo para transformar feedback, suporte para resolução de stencil min/max usando o pipeline de computação, correção de vazamento de memória, corrupção com GPUs Fiji rodando sob Wayland, e outros problemas de corrupção. 

Embora não seja mencionado nas notas de lançamento oficiais, a árvore de fontes PAL também observa que a extensão Vulkan de VK_EXT_calibrated_timestamps foi adicionada. VK_EXT_calibrated_timestamps permite registros de data e hora calibrados a partir de dois domínios de tempo. 

A fonte para este estado do driver 2019.Q1.7, bem como um pacote Ubuntu/Debian deste último código, podem ser encontrados via GitHub. A AMD também deve lançar este mês versões trimestrais do Radeon Software for Linux, que deve ter um novo resumo do AMDVLK, que, pelo menos até agora, foi construído com base em seu compilador proprietário de shaders.

Fonte

Escrito por Claylson

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Empresas de TI têm dificuldades para recrutar novos talentos

Empresas de TI têm dificuldades para recrutar novos talentos

HITMAN 2 de graça para Linux no Steam Play

HITMAN 2 de graça para Linux no Steam Play