in

Entenda as táticas questionáveis do Google contra a Amazon no espaço das smart TVs

Por um lado, você pode entender o Google (que deseja definir padrões para os fabricantes). Por outro lado, é claro que barrar forks do Android parece ser uma maneira de afastar a concorrência nesse espaço.

Usuários da Android TV agora podem transmitir o YouTube em 8K
Imagem: Reprodução | Android Authority.

Várias fontes disseram ao site Protocol que qualquer empresa, como a Amazon, que queira licenciar TV Android e aplicativos do Google para suas smart TVs não tem permissão para fabricar dispositivos que usem versões bifurcadas do Android. E a plataforma de TV Fire da Amazon é realmente um fork do Android. O não cumprimento deste termo determinado pelo Google significa que uma empresa pode perder o acesso à Play Store e outros serviços do Google para seus dispositivos.

Um funcionário anônimo de um importante fabricante de TV disse:

Eles não podem fazer Android TV e Fire TV simultaneamente.

Google contra a Amazon no espaço das smart TVs

Entenda as táticas questionáveis do Google contra a Amazon no espaço das smart TVs
Imagem: Reprodução | Android Authority.

Acredita-se que o Google esteja seguindo um caminho semelhante ao dos fabricantes de smartphones, determinando que os fabricantes de TV concordem com o Compromisso de compatibilidade do Android. Assim, os fabricantes precisam concordar com esse compromisso — que supostamente define padrões de compatibilidade de dispositivos e aplicativos — para obter acesso aos aplicativos e serviços da Android TV do Google. Mas o contrato não permite que essas marcas lançem dispositivos com versões bifurcadas do Android, como o Fire TV da Amazon.

Curiosamente, duas fontes disseram ao site Protocol que o acordo abrange categorias de dispositivos. Portanto, os fabricantes de smartphones que assinam este contrato também não podem lançar um produto como o Fire TV. Além disso, os fabricantes de TV que assinam este contrato não podem lançar uma versão bifurcada do Android em um dispositivo móvel.

Porém, os termos do Compromisso de Compatibilidade do Android para fabricantes de celulares resultaram em uma multa para o Google de 4,3 bilhões de euros (~ US$ 5 bilhões) pela Comissão Europeia. A multa veio depois que a comissão descobriu que o Google impunha restrições “ilegais” aos fabricantes. Mais especificamente, houve um problema com o Google exigindo que os fornecedores pré-instalassem o Google Search e o Chrome. Além disso, o gigante das buscas impediu que as marcas de telefone vendessem dispositivos executando versões bifurcadas do Android.

Por um lado, você pode entender o Google (que deseja definir padrões para os fabricantes). Por outro lado, é claro que barrar forks do Android (mesmo quando eles são drasticamente diferentes quanto o Fire TV) parece ser uma maneira de afastar a concorrência nesse espaço.

Fonte: Android Authority