in

Extensões do Avast Firefox foram removidas. Empresa se pronuncia

As extensões do navegador ainda não foram totalmente banidas. Motivo seria a coleta de dados.

Firefox 79 entra na versão beta e permite exportar senhas e logins salvos

As extensões desenvolvidas pela Avast, bem como suas versões com a marca AVG, foram removidas pelo Mozilla e não podem mais ser encontradas na loja de complementos do Firefox. Porém, por enquanto, parece que ainda não há uma proibição total  a estas extensões. Assim, as extensões do Avast Firefox foram removidas.

Os links da Mozilla para o Avast Online Security e o Avast SafePrice, bem como suas versões com o emblema do AVG, foram removidos da loja de complementos do navegador Firefox e não podem mais ser instalados pelos usuários.

Porém, de acordo com o GHacks, isso não é uma proibição total, pois uma extensão incluída na lista negra do Mozilla também é removida das instalações existentes do Firefox. Nesse ponto, essas extensões ainda estão em execução nos dispositivos em que foram instaladas anteriormente.

Extensões do Avast Firefox foram removidas devido a coleta de dados

Extensões do Avast Firefox foram removidas

Tanto a Mozilla quanto a Avast/AVG ficaram completamente calados com a remoção de extensões da loja de complementos. Acredita-se que essa decisão esteja relacionada a informações recentes reveladas por Wladimir Palant, criador do AdBlock Plus, um dos bloqueadores de anúncios mais populares para Firefox e Google Chrome.

Em sua análise completa das extensões do Avast, a Palast explica que eles coletam informações do histórico de navegação que incluem sites visitados, histórico de pesquisa e até identificadores de guias e janelas. Palast diz que isso ajuda a Avast a “criar uma reconstrução quase precisa do seu comportamento de navegação”.  Então, a empresa pode gerar várias estatísticas, como o número de guias ativas, sites visitados, tempo gasto em cada página e cliques.

Acredita-se que a Mozilla cancelou as extensões para dar ao Avast e ao AVG mais tempo para cumprir sua política de privacidade. Assim, poderá atualizar os complementos para tratar da coleta de dados.

O desenvolvedor diz que a Mozilla ainda está conversando com o Avast sobre suas extensões. Então há uma boa chance de que os links voltem a ficar on-line nos próximos dias após a resolução das preocupações.

A Palant pede que o Google também investigue as extensões Avast e AVG, pois existe um comportamento semelhante em suas versões do Chrome.

A Avast também se pronunciou sobre os problemas em suas extensões. Segue a nota na íntegra que foi enviada à Redação:

Oferecemos nossas extensões de navegador Avast Online Security e SafePrice por muitos anos através da loja da Mozilla, bem como do Opera. Estamos em contato com eles para fazer os ajustes necessários em nossas extensões para que estejam alinhadas com os novos requisitos.

A extensão Avast Online Security é uma ferramenta de segurança que protege os usuários online, inclusive contra sites infectados e ataques de phishing. É necessário que este serviço colete o histórico da URL para fornecer sua funcionalidade esperada. A Avast faz isso sem coletar ou armazenar a identificação de um usuário.

Já implementamos alguns de seus novos requisitos e lançaremos outras versões atualizadas que sejam totalmente compatíveis e transparentes de acordo com os novos requerimentos. Elas estarão disponíveis como de costume nas lojas em um futuro próximo.

Fonte: ZDNet

*Matéria atualizada com o posicionamento da Avast.

 

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.