in

Facebook revela outra violação de privacidade

Desta vez, o problema envolve desenvolvedores de aplicativos.

Facebook revela outra violação de privacidade

Discretamente, o Facebook revela outra violação de privacidade, desta vez relacionada aos desenvolvedores. Cerca de 100 desenvolvedores de aplicativos podem acessar dados que não deveriam ter. A revelação foi feita pelo diretor de parcerias de plataforma do Facebook, Konstantinos Papamiltiadis. Ele disse em um post no blog que os nomes e as fotos de perfil dos usuários conectados aos grupos e à API do sistema estavam acessíveis.

Antes de abril de 2018, os administradores de grupo podiam autorizar um aplicativo para um grupo que gerenciavam. Assim, davam ao desenvolvedor do aplicativo acesso a essas informações.

Facebook revela outra violação de privacidade

Facebook revela outra violação de privacidade

Porém, desde abril do ano passado, foi restrito o acesso às informações apenas ao nome do grupo, ao número de usuários e ao conteúdo da postagem. Isso a menos que os usuários optem por compartilhar seu nome e foto do perfil. No entanto, o Facebook diz que alguns aplicativos mantiveram acesso a esses dados adicionais até recentemente.

Como parte de nossa análise contínua, descobrimos recentemente que alguns aplicativos mantinham acesso a informações de membros do grupo, como nomes e fotos de perfil em conexão com a atividade do grupo, na API do Groups, por mais tempo do que pretendíamos”, disse Papamiltiadis. “Desde então, removemos o acesso deles”.

No total, aproximadamente 100 desenvolvedores podem ter acessado essas informações. A gigante da tecnologia conhece pelo menos 11 desenvolvedores que acessaram dados que não deveriam ter conseguido acessar nos últimos 60 dias. 

Tá, mas quais aplicativos?

O Facebook diz que os aplicativos envolvidos estavam “primariamente” relacionados ao software de gerenciamento de mídia social e streaming de vídeo.

Nosso objetivo é manter um alto padrão de segurança em nossa plataforma e tratar nossos desenvolvedores de maneira justa, acrescentou o executivo.

Enquanto continuamos a trabalhar nesse processo, esperamos encontrar mais exemplos de onde podemos melhorar, seja através de nossos produtos ou alterando a maneira como os dados são acessados.

Em julho deste ano, o Facebook fez um acordo com a Federal Trade Commission (FTC) dos EUA no valor de US $ 5 bilhões para repousar as alegações de falhas na privacidade dos usuários após o Cambridge Analytica

Como parte do acordo, o Facebook concordou em realizar uma análise de privacidade de todos os produtos, serviços e práticas antes da implementação, e os responsáveis pela conformidade precisaram ser nomeados para garantir que a rede social atendesse aos padrões da FTC. 

Do mesmo modo, em outubro, o Facebook eliminou redes falsas originárias da Rússia e do Irã. Elas foram projetadas para espalhar conteúdo político por meio de contas e páginas fraudulentas. 

O Facebook também prometeu enfrentar a ameaça de fraude eleitoral nos EUA em 2020 em sua rede. 

Fonte: ZDNet

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

A China está instalando sistemas de vigilância que detectam emoções humanas

A China está instalando sistemas de vigilância que detectam emoções humanas

UBports vai oferecer imagens ARM de 64 bits do Ubuntu Touch

UBports vai oferecer imagens ARM de 64 bits do Ubuntu Touch