in

Google e Collabora adicionam alterações importantes ao kernel Linux 5.1 para Chrome OS

Permite ignorar o initramfs para inicializar em um dispositivo de mapeamento de dispositivo

Google e Collabora adicionam alterações importantes ao kernel Linux 5.1 para Chrome OS

Os engenheiros da Collabora e do Google têm trabalhado em um novo e empolgante recurso que beneficiaria os usuários do Chrome OS e dispositivos Android, que recentemente chegaram à mais recente série de kernel Linux 5.1. Assim, Google e Collabora adicionam alterações importantes ao kernel Linux 5.1 para Chrome OS.

De acordo com o último relatório do Collabora sobre suas contribuições para o kernel Linux 5.1, que chegou na semana passada, agora é possível montar e inicializar um dispositivo mapeado adicionando um parâmetro do kernel via linha de comando no momento da inicialização. Assim, dá para ignorar a imagem do initramfs. Para o kernel Linux 5.1, doze desenvolvedores do Collabora também contribuíram com 64 commits e 111 sign-offs, além de muitos relatórios de bugs e testes.

Helen Koike contribuiu com uma grande mudança, fornecendo um mecanismo para montar um dispositivo mapeado no momento da inicialização através de um parâmetro de linha de comando do kernel, removendo o requisito atual do initramfs, disse André Almeida, da Collabora. Essa mudança é o resultado do esforço combinado dos engenheiros da Google e da Collabora para impulsionar o upstream de um recurso enviado para dispositivos Chrome OS e dispositivos Android usando o AVB 2.0.

Todas as versões anteriores do kernel exigiam a presença de uma imagem initramfs. Então, ela era necessária para inicializar o sistema em um conjunto de arquivos localizado em um dispositivo de mapeamento. Contudo, havia muitos casos em que os usuários não podiam usar uma imagem initramfs. Portanto, esse novo recurso é útil quando você quer inicializar em um device-mapper sem a necessidade de uma imagem initramfs, apenas usando um parâmetro simples de inicialização do kernel.

Destaques das contribuições do Google e Collabora ao kernel Linux 5.1 para Chrome OS

Chrome OS

As novidades não param em adicionar suporte para inicializar em um dispositivo de mapeamento sem usar initramfs. Além disso, os engenheiros da Collabora adicionaram várias vantagens ao kernel Linux 5.1:

  • suporte para o computador de placa única NanoPC-T4;
  • suporte para Bosch Guardian e i.MX6 baseados em AM335x Placas ARM Phytec phyBOARD Segin;
  • e suporte pinmuxing para a placa Raspberry Pi 3 modelo B;
  • Eles também habilitaram áudio HDMI em plataformas RK3399 Rock960;
  • suporte aprimorado para a placa RK3399 RockPI;
  • manipulação fixa de USB em FunctionFS;
  • implementação DRM_AUTH aprimorada do subsistema DRM;
  • suporte adicional para espelhamento e rotação de planos em SoCs RK3288 e RK3399;
  • corrigiram um erro no driver vívido e atualização da Detecção do carregador USB ISP1704 para usar a nova GPIO API.

Portanto, Google e Collabora adicionam alterações importantes ao kernel Linux 5.1 para Chrome OS. Assim, o objetivo é melhorar a performance desses dispositivos.

Fonte

Written by Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Kdenlive corrige mais de 70 bugs

Atualização do Kdenlive traz correções de bugs

Se faz Dual Boot, regularize sua versão do Windows