in

Google e YouTube pagam US$ 170 milhões para resolver supostas violações da privacidade de crianças

A segmentação de canais do YouTube para crianças coloca o Google no lado errado da Lei de Proteção à Privacidade Online para Crianças (COPPA).

Google e YouTube pagam US$ 170 milhões para resolver supostas violações da privacidade de crianças

O Google e o YouTube pagarão US$ 170 milhões para resolver um caso com a Comissão Federal de Comércio dos EUA e o Procurador Geral de Nova York que alega que o gigante da tecnologia coletou ilegalmente as informações pessoais de crianças. Assim, Google e YouTube pagam para resolver supostas violações da privacidade de crianças.

De acordo com a Lei de Proteção à Privacidade Online das Crianças (COPPA), os proprietários de serviços on-line direcionados a crianças precisam obter o consentimento dos pais antes de coletar dados sobre pessoas menores de 13 anos de idade, o que também inclui o uso de cookies de identificação persistentes.

A queixa que levou Google e YouTube a pagarem US$ 170 milhões para resolver supostas violações da privacidade de criançasGoogle e YouTube pagam US$ 170 milhões para resolver supostas violações da privacidade de crianças

O FTC e o procurador-geral de Nova York apresentaram o argumento em uma queixa [PDF] de  que os canais do YouTube criados e direcionados às crianças precisavam cumprir a COPPA.

A denúncia observa que os réus sabiam que a plataforma do YouTube tinha vários canais direcionados a crianças, afirmou a FTC. O YouTube se tornou um dos principais destinos para crianças em apresentações para fabricantes de produtos e marcas populares para elas. Por exemplo, o Google e o YouTube disseram à Mattel, fabricante de brinquedos Barbie e Monster High, que ‘o YouTube é hoje o líder entre crianças entre 6 e 11 anos de idade contra os principais canais de TV. Além disso, disse à Hasbro, que faz My Little Pony e Play-Doh, que o YouTube é o’ # 1 site regularmente visitado por crianças’.

A denúncia afirmava que o Google sabia que estava coletando informações pessoais de canais direcionados a crianças e, portanto, seria considerado um site “direcionado a crianças”.

Em nenhum momento os réus tentaram fornecer aos pais a notificação especificada pela COPPA de suas práticas de informação ou obter consentimento verificável dos pais, afirmou a queixa.

Em resposta às perguntas de uma empresa de publicidade em relação à publicidade no YouTube no que se refere a uma empresa de brinquedos e à COPPA, o funcionário do réu Google respondeu: ‘Não temos usuários com menos de 13 anos no YouTube e a plataforma/site é um público em geral. Portanto, não há canal/conteúdo direcionado a crianças e não é necessária conformidade com a COPPA’.

É só pagar e pronto?

Além de precisar pagar US $ 136 milhões à FTC e US $ 34 milhões a Nova York, o Google e o YouTube precisarão criar um sistema para permitir que os proprietários de canais identifiquem conteúdo direcionado a crianças, para que o YouTube possa cumprir a COPPA.

O acordo também proíbe o Google e o YouTube de violar a regra da COPPA e exige que eles notifiquem suas práticas de coleta de dados e obtenham consentimento verificável dos pais antes de coletar informações pessoais de crianças, afirmou a FTC.

Nos resultados do segundo trimestre anunciados em julho, a empresa-mãe do Google, Alphabet, registrou lucro líquido de US $ 10 bilhões, bem acima dos US $ 3,2 bilhões de um ano atrás, com receita de US $ 39 bilhões.

Fonte: ZDNet

Written by Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Nova versão corretiva do VirtualBox 6.0.12 lançada

Nova versão corretiva do VirtualBox 6.0.12 lançada

Desenvolvedores do LibreOffice anunciam maior foco no suporte a arquivos PPT/PPTX

Desenvolvedores do LibreOffice anunciam maior foco no suporte a arquivos PPT/PPTX