in

Google pensou em adquirir o Zoom no passado

O Google está copiando os recursos do Zoom em sua própria plataforma de videoconferência.

O Zoom testemunhou um aumento exponencial na popularidade, graças à pandemia de coronavírus e às pessoas que preferem o Zoom a outras ferramentas de videoconferência, apesar das brechas na segurança.

Google pensou em adquirir o Zoom no passado

No mês passado, o Zoom relatou mais de 300 milhões de participantes na plataforma, o que representa um aumento de 2900% em relação a dezembro do ano passado.

Mas, em 2018, quando o Zoom ainda estava tentando tornar-se grande, o Google planejava internamente adquirir a plataforma de videoconferência, diz o site The Information.

Naquele ano, milhares de funcionários da gigante da tecnologia estavam usando o Zoom em vez dos produtos de videoconferência do Google. A popularidade repentina do Zoom entre os funcionários levou a discussões entre os engenheiros do Google Cloud para adquirir o produto até o final de 2018.

De acordo com o site, a discussão foi tão longe que o Google começou a avaliar o preço da aquisição do Zoom e “calculou a economia […] do serviço, se executado nos servidores do Google”.

Google pensou em adquirir o Zoom no passado
Imagem: Reprodução | Fossbytes.

Atualmente, o Zoom é um dos maiores concorrentes do Google Meet.

As coisas teriam sido totalmente diferentes

É irônico que o Google tenha pensado em adquirir o Zoom, pois seria uma compra fácil na época. A situação lembra o incidente icônico de 1998, onde o Yahoo se recusou a comprar o Google por US$ 1 milhão.

Hoje, o Google está copiando os recursos do Zoom em sua própria plataforma de videoconferência. Recentemente, o Google Meet ultrapassou a marca de 100 milhões de participantes diários.

Enquanto isso, o Google proibiu seus funcionários de usar o Zoom devido a falhas de segurança no software. Em outras palavras, até o Google reconhece que seus funcionários usaram o Zoom até agora.

Se o Google seguisse em frente com a proposta de adquirir o Zoom, as coisas teriam sido totalmente diferentes. Um porta-voz da nuvem do Google disse ao The Information que a empresa “nunca avaliou seriamente a aquisição do Zoom”.

Fonte: Fossbytes