in

HP demitirá 16% de seus funcionários!

As demissões não são especulativas e faz parte do futuro da empresa!

hp-demitira-16-de-seus-funcionarios

A HP um dos maiores fabricantes americanos vai passar por uma vasta reestruturação. A mudança foi apresentada pelo novo CEO da empresa, Enrique Lores que deve assumir o cardo no primeiro dia de novembro, e assim, cerca de 16% dos funcionários serão demitidos.

A HP possui cerca de 55.000 funcionário, e 16% corresponde à 9.000 pessoas que vão deixar a empresa devido ao gigantesco plano de reestruturação. Em um comunicado, a HP justifica as mudanças no intuito de simplificar o seu modelo.

Nos últimos anos, a empresa teve uma suas vendas estagnadas, especialmente dos PCs e agora enfrenta um declínio nas vendas de suas impressoras. Ainda segundo a proposta, o 9.000 pessoas devem deixar a empresa em até 3 anos.

Esses desligamentos, vão ocorrer devido as aposentadorias e também enxugamento de gastos. Com isso, a HP espera economizar cerca de US $ 1 bilhão por ano a partir de 2022, que será quando o prazo para os desligamentos tem acabado.

Durante esse período de novos ajustes, a HP pretende voltar seus olhos para as impressoras que vem vivenciando um declínio por muitos anos. Para aumentar as vendas, a empresa pretende vender impressoras com preços mais baratos.

Ainda de acordo com o comunicado, e em relação a impressoras HP, a empresa deve direcionar seus esforços para as vendas de cartuchos, especialmente aqueles onde o cliente poderá abastecer em casa. Dito isso, talvez a empresa adote so sistemas atuais de bulking.

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

Patch de segurança do Google Outs para Android de novembro de 2019

Por dentro da grande reformulação no Android feita pelo Google – Parte II

GNOME Shell & Mutter 3.34.1 lançam correções importantes

GNOME Foundation se defende contra uma ação judicial!