in

Israel usará tecnologia de rastreamento antiterrorista para combater surto de coronavírus

O anúncio já está levantando preocupações.

A tentativa de Israel de conter o surto de coronavírus pode ser a próxima a comprometer a privacidade. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, delineou planos para usar tecnologia de rastreamento antiterrorista para localizar pessoas em contato com os portadores do coronavírus. Ele não foi específico sobre a tecnologia e só fez referenciar “meios digitais” semelhantes aos de Taiwan. Porém, o serviço de segurança doméstica Shin Bet de Israel confirmou à Reuters que ele estava tentando usar seus métodos.

Israel usará tecnologia de rastreamento antiterrorista para combater surto de coronavírus

O anúncio já está levantando preocupações. Além disso, o especialista em privacidade Avner Pinchuk alertou que isso pode incluir rastreamento por telefone em tempo real para alertar as autoridades sobre violações de quarentena ou rastrear metadados para determinar as viagens e os contatos de um paciente com COVID-19. Todavia, o Shin Bet respondeu dizendo que não usaria sua tecnologia “no contexto das diretrizes de isolamento”.

Vários países bloquearam grande parte de sua infraestrutura, incluindo Israel (o país fechou hotéis, shoppings, restaurantes e teatros). Porém, o uso da tecnologia de vigilância é relativamente novo. Além disso, esse ato pode levar outros países a seguir o exemplo, se a lei permitir. Se isso acontecer, a tecnologia de vigilância pode ser muito comum, pelo menos enquanto o surto ainda estiver ocorrendo.

Coronavírus e a invasão de privacidade na China

No mês passado, a China lançou um aplicativo para as pessoas testarem se estavam em “contato próximo” com pessoas expostas ao coronavírus. O jornal New York Times (NYT) informou que o aplicativo atribui um código de cores aos usuários. Embora o código seja visível para as pessoas que usam o aplicativo, ele também compartilha esses dados com a polícia.

Israel usará tecnologia de rastreamento antiterrorista para combater surto de coronavírus
Embora o código seja visível para as pessoas que usam o aplicativo, ele também compartilha esses dados com a polícia. Imagem: Reprodução | Fossbytes.

O sistema, desenvolvido pelo popular aplicativo de pagamento do Alibaba, o Alipay, está em uso em mais de 200 cidades. As pessoas podem digitalizar um código QR para obter uma etiqueta verde, amarela ou vermelha. A etiqueta verde significa que você está saudável e pode percorrer a cidade sem restrições, amarelo significa quarentena de sete dias e vermelho significa quarentena de 14 dias.

Fonte: Engadget