in

Linus Torvalds não está preocupado com a Microsoft assumir o Linux

E você também não deveria estar. Toda empresa quer governar o Linux. Porém, nenhuma delas pode ou jamais o fará.

Linus Torvalds resolve tirar uma licença temporária do Linux Kernel

Aqui está a verdade da questão: Sim, a Microsoft quer lucrar com o Linux. E, sim, a Microsoft quer ampliar e controlar o Linux. Neste artigo, veja o que Linus Torvalds acha da Microsoft participando da comunidade Linux.

Na Linux Plumbers Conference de 2019, Steven J. Vaughan-Nichols (do site ZDNet) entrevistou Linus Torvalds e vários outros programadores importantes do kernel Linux. Eles concordaram que a Microsoft quer controlar o Linux, mas não estão preocupados com isso. Isso acontece pois o Linux, por sua própria natureza e seu licenciamento de código aberto GPL 2, não pode ser controlado por terceiros.

Torvalds disse:

Essas coisas anti-Microsoft às vezes eram engraçadas como uma piada. Hoje, eles são realmente muito mais amigáveis. Converso com engenheiros da Microsoft em várias conferências e sinto que sim, eles mudaram. Além disso, eles estão realmente felizes trabalhando no Linux. Então, eu rejeitei completamente todas as coisas anti-Microsoft.

Mas isso não significa que a Microsoft não possa mudar de posição. Com certeza, ele ouve que esta é a antiga Microsoft, e eles estão apenas aguardando a hora certa para dar o bote. Mas Torvalds disse:

Eu não acho que isso seja verdade. Quer dizer, haverá tensão. Mas isso é verdade para qualquer empresa que entrar no Linux; elas têm seus próprios objetivos. E querem fazer as coisas do seu jeito porque têm uma razão para isso. [Portanto, com o Linux,] a Microsoft tende a se concentrar principalmente no Azure e fazer todo o possível para que o Linux funcione bem para eles.

Torvalds enfatizou que isso é normal:

Isso é apenas fazer parte da comunidade.

Nenhuma empresa manda no kernel Linux

Como Eric Raymond apontou em seu trabalho, The Cathedral and the Bazaar:

Todo bom trabalho de software começa cutucando a ferida pessoal de um desenvolvedor.

E, hoje em dia, grande parte do trabalho do Linux começa cutucando a ferida de uma empresa.

No relatório mais recente do State of Linux Kernel Development 2017, essas empresas são, em ordem: Intel, Red Hat, Linaro, IBM, Samsung, SUSE e Google. Cada uma tem sua própria ferida e cada uma tenta abordá-la o melhor que pode. Enquanto alguns voluntários não remunerados – 8,2% em 2017 – trabalham no Linux, o kernel é em grande parte o trabalho de desenvolvedores que trabalham para empresas.

Além da prova de que a Microsoft está trabalhando no código, Torvald diz o que acha muito interessante:

A Microsoft basicamente foi de extorquir o licenciamento para FAT (patentes) dos fornecedores do Android para agora disponibilizar todas as patentes. Realmente não é apenas legal. É uma ação real. Estou muito feliz.

James Bottomley, engenheiro de pesquisa da IBM e um desenvolvedor importante do kernel Linux, vê a Microsoft passando pelo mesmo processo que todos os outros apoiadores corporativos do Linux passaram:

Esta é uma discussão que percorre o Linux. Você não pode trabalhar no kernel para sua própria vantagem proprietária. Muitas empresas, acostumadas com o modo de negócios proprietário, presumiram que poderiam. Elas precisam ser convencidas de que, se você quiser algo no Linux, isso ajudará seus negócios (e isso é normal), porém é preciso passar por um processo de desenvolvimento aberto.

Colaboração é vital

Isso significa que, para fazer as coisas, até a Microsoft é “eventualmente forçada a colaborar com os outros”.

Bottomley explicou:

Então, muito do que você vê no topo, e o que sai da Linux Foundation, é impulsionado pelas empresas maiores. E elas estão sempre brigando, sabe, sobre quem consegue qual recurso e como ele é feito. Mas o que nunca foi diferente é o fato de que o desenvolvimento deve ser feito em campo aberto. Se alguém encontrar um benefício, você acaba colaborando.

Bottomley concluiu:

Portanto, não importa se a Microsoft tem uma agenda concorrente para a Red Hat, IBM ou qualquer outra pessoa. Ainda é esperado que os desenvolvedores trabalhem juntos no kernel do Linux com uma agenda transparente.

Em resumo, a Microsoft pode ser grande, mas ninguém é maior que toda a comunidade Linux.

Além disso, como o mantenedor da divisão estável do Linux, Greg Kroah-Hartman, disse em uma entrevista:

O processo de desenvolvimento do kernel Linux não é para quem você trabalha, é sobre indivíduos. É engraçado, KY [Srinivasan], chefe do grupo de código aberto da Microsoft, veio da Novell e, antes disso, ele era um ex-engenheiro da AT&T. E ele é um bom gerente de engenharia que está envolvido no Linux há 20 anos.

Além disso, a Microsoft é uma empresa Linux agora. Kroah-Hartman continuou:

Mais de 50% de suas cargas de trabalho do Azure estão em Linux agora. É incrivelmente grande.

Linus Torvalds não está preocupado com a Microsoft assumir o Linux
A Microsoft é uma empresa Linux agora. Mais de 50% de suas cargas de trabalho do Azure estão em Linux.

Linus Torvalds e a Microsoft entendem que Linux é o futuro

Ele disse que a Microsoft agora tem uma distribuição Linux, assim como a Amazon com a AWS, que é uma distribuição Linux, e a Oracle.

Você pode até argumentar, graças ao Windows Subsystem para Linux 2.0, uma distribuição Linux que roda no Windows 10, que a Microsoft pode ser o maior distribuidor de Linux.

Nenhum desses líderes do Linux sequer estavam um pouco preocupados com a Microsoft assumir o Linux. Pelo contrário, o Linux agora é a força motriz de quase todas as empresas de tecnologia – e isso inclui a Microsoft.

Neste artigo, você viu por que Linus Torvalds não está preocupado com a Microsoft assumir o Linux.

Se gostou, não deixe de compartilhar!

Fonte: ZDNet

Leia também: Microsoft é admitida na lista privada de segurança para desenvolvedores Linux

Escrito por Leonardo Santana

Astrônomo amador e eletrotécnico. Apaixonado por TI desde o século passado.

Dash to Dock v67 chega com novas funções e suporte ao GNOME 3.34

Dash to Dock v67 chega com novas funções e suporte ao GNOME 3.34

Conheça 6 programas de design gráfico para Linux

Conheça 6 programas de design gráfico para Linux