in

Linux está se tornando a alternativa ao Windows que a Microsoft nunca quis

2020 está gradualmente se tornando o ano do Linux.

As estatísticas mais recentes de participação de mercado mostram que o sistema operacional Windows da Microsoft está lenta mas seguramente perdendo espaço no mundo dos PCs e 2020 está gradualmente se tornando o ano do Linux como alternativa.

A base de instalação do Linux, especialmente no mercado consumidor, nunca melhorou em um ritmo que ameaçasse a posição de liderança do Windows no mercado de sistemas operacionais.

Todavia, agora tudo está mudando, à medida que o Linux cresce e cresce, e nada parece impedi-lo de alcançar novos recordes de adoção nos próximos meses.

Linux está se tornando a alternativa ao Windows que a Microsoft nunca quis

O fim do suporte ao Windows 7, anunciado em janeiro, foi um grande ponto de virada para o Linux, pois alguns daqueles cujos dispositivos foram deixados sem atualizações decidiram experimentar o Ubuntu, o Linux Mint ou uma distribuição diferente. Nesse sentido, sem dúvida, isso ajudou a adoção do Linux em geral, além de afetar a participação de mercado do Windows.

Linux está se tornando a alternativa ao Windows que a Microsoft nunca quis
Alguns daqueles cujos dispositivos foram deixados sem atualizações decidiram experimentar o Linux Mint.

O Linux começou o ano com uma participação de mercado de apenas 1,47% em janeiro. Por outro lado, o Windows estava executando em nada menos que 88,14% dos computadores de mesa no primeiro mês de 2020.

Em maio deste ano, o Linux atingiu 3,17%, com o Windows caindo para 86,69%. E, finalmente, junho trouxe outro aumento para 3,61%, enquanto o Windows estagnou em 86,69%.

Portanto, nos primeiros seis meses do ano, o Linux aumentou sua participação de mercado em até 2,14%, enquanto o Windows caiu 2,52%. Obviamente, isso reduziu a diferença entre os dois sistemas operacionais. Ainda mais, se a mesma tendência for mantida, há uma boa chance de o Linux se tornar a segunda plataforma de desktop mais popular.

Seja como for, o Linux ainda tem um longo caminho a percorrer antes que possa ameaçar a supremacia do Windows no mundo dos desktops. Da mesma forma, todos esses números são a prova viva de que mais usuários consideram o Linux a alternativa que a Microsoft nunca desejou.

Fonte: Softpedia