Notícias

21/10/2021 às 07:30

6 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

Mark Zuckerberg vira réu em processo da Cambridge Analytica

Com isso ele pode ser punido com prisão e pagamento de multa.

Mark Zuckerberg vira réu em processo da Cambridge Analytica

A situação do Facebook e de seu criador, Mark Zukerberg se agravou nas últimas horas. Ambos respondem a processos na Justiça norte-americana por conta do escândalo da Cambridge Analytica, que inclui a venda de dados de usuários sem o consentimento deles, para governos e empresas. “Acabei de adicionar Mark Zuckerberg como réu em meu processo contra o Facebookcomeçou um tweet postado por Karl A. Racine, procurador-geral de Washington DC.


Nossas investigações revelaram que [Zuckerberg] estava pessoalmente implicado em decisões relacionadas ao escândalo Cambridge Analytica e à falha do Facebook em proteger os dados do usuário.

O que há de tão especial nisso? Afinal, podemos pensar que centenas de ações judiciais já foram movidas nos últimos anos contra o Facebook. No entanto, neste caso, o nome de Zuckerberg aparece não apenas como o CEO da empresa, mas como um réu individual, expondo-o pela primeira vez ao magnata da mídia social a possíveis sanções financeiras e até criminais.

Mark Zuckerberg vira réu em processo da Cambridge Analytica

Lembre-se de que o caso Cambridge Analytica gira em torno de uma consultoria política que assessorou várias campanhas políticas altamente relevantes (Brexit e Trump em 2016), baseando seu trabalho em enormes quantidades de dados supostamente privados de usuários do Facebook, aqueles que a rede social não possuía de forma adequada alertou sobre os usos que terceiros podem fazer das informações contidas em seus perfis.

A ação acima mencionada foi movida há 3 anos e, de acordo com Racine, desde então seu escritório “revisou centenas de milhares de páginas de documentos e completou uma ampla gama de declarações, incluindo ex-funcionários e denunciantes internos.”

Assumimos nossa obrigação de investigar as violações muito a sério, e o Facebook deve assumir sua responsabilidade de proteger os usuários com a mesma seriedade.

Para defesa, acusações são sem fundamento

Mark Zuckerberg vira réu em processo da Cambridge Analytica

No entanto, Andy Stone, porta-voz do Facebook, rejeitou essas acusações em um comunicado ao New York Times, chamando-as de “infundadas e anunciando que a empresa continuará a “se defender decisivamente e buscar o foco nos fatos”.

Isso significa que o Facebook pode usar sua capacidade de arquivar uma moção para rejeitar a reclamação de Zuckerberg.

Já em 2019, quando a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos impôs ao Facebook uma das maiores sanções de sua história (5 mil milhões de dólares), os advogados da empresa conseguiram manter seu CEO fora do referido acordo. No entanto, Racine acredita que, neste caso,

Incluir o Sr. Zuckerberg no processo é totalmente justificado e envia a mensagem de que qualquer líder corporativo, começando pelo próprio CEO, deve assumir a responsabilidade por seus próprios atos.

O atual clima sócio-político dá asas às reivindicações do procurador-geral: apelos de legisladores a favor da aprovação de regulamentações mais rígidas das redes sociais se intensificaram nos últimos dias, após os últimos vazamentos que revelaram a existência de reportagens internas sobre como o Instagram afetou a saúde dos adolescentes.

Agora, uma vitória do Ministério Público pode resultar em pagamentos de até US$ 5.000 para qualquer um dos 300.000 residentes na capital dos Estados Unidos que podem ter sido afetados por esta violação de sua privacidade.

Via Genbeta

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.