in

Mate os zumbis que existem no seu Linux

Veja uma das formas de acabar com o zumbi do seu sistema.

Mate os zumbis que existem no seu Linux

Os zumbis estão à solta e não somente no seriado da AMC, The Walking Dead. Eles podem estar dentro do seu computador. Calma, não é nada demais. Estamos falando de processos zumbis que são acionados quando executamos algum programa. Então mate os zumbis que existem no seu Linux.

É que cada software pode iniciar um ou mais processos que deverão ser carregados na memória principal para serem processados ??pela CPU. Às vezes, um processo pode ser subdividido nos chamados processos LWP ou light, isto é, em encadeamentos ou threads. Quando todas as threads de um processo tiverem sido executadas, o processo foi concluído.

Tendo feito essa introdução, diga que os processos em ambientes Unix são identificados por um ID e podem ter vários estados. Esse ID ou identificador é um número atribuído a esse processo para rastrear. Você pode facilmente conhecer o PID de um processo com o ps, a ferramenta htop, entre outras. E você também pode ver informações sobre o status deles.

Os estados em que um processo pode estar no Linux são :

  • Em execução: o processo está sendo executado.
  • Dormindo: o processo está dormindo, esperando por um evento para te acordar e continuar sua execução.
  • Encerramento: o processo está terminado ou morto.
  • E/S de dispositivo: processos de dispositivos de E/S que não podem ser interrompidos.
  • Zumbi: quando um processo secundário termina antes do processo principal, as informações do segundo são mantidas até que o principal também termine. O processo já acabou mas não consegue ser totalmente finalizado para liberar recursos. Ele não ocupa muito tempo da CPU. Porém ocupa espaço na tabela de processos.

Quais processos fazem com que se mate os zumbis que existem no seu LinuxMate os zumbis que existem no seu Linux

Uma maneira de enviar sinais aos processos para passar para um estado ou outro é usando o comando kill. Se você usar o comando kill -l, verá a lista de sinais que pode enviar. O mais comum é enviar um sinal KILL para um processo para eliminá-lo. Por exemplo:

kill -l
kill -9 <PID>

O sinal 9 ou SIGKILL mata diretamente o processo indicado pelo PID sem verificar o status. Em vez disso, o SIGTERM terminará o processo apenas em certas circunstâncias, uma vez que ele verifica o status do processo para o qual o sinal é enviado e se não estiver certo de que o sinal será ignorado.

Bem, tendo dito tudo isso, ferramentas como ps possuem uma coluna que mostra o status STAT ou process. Se você observar essa coluna, a inicial dos estados em que ela é encontrada será exibida. Por exemplo, S para dormir, ou Z para zumbi etc. Então, dá para verificar se você tem ou não processos zumbis em seu sistema com o seguinte comando:

ps aux | grep ‘Z’

No meu caso, havia um com o PID 15835. 

USER PID %CPU %MEM VSZ RSS TTY STAT START TIME COMMAND
kleu 15835 0.0 0.0 17516 912 pts/0 S+ 16:25 0:00 grep –color=auto Z

E para eliminar os processos zumbis, você pode usar a seguinte ordem:

kill 15835

Pronto! Assim, você dá um golpe certeiro e acaba com o zumbi que existe no seu Linux. Clicando neste link você vê outra forma de eliminar esses processos.

Written by Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Chega a nova versão Nmap 7.80

Chega a nova versão Nmap 7.80

Telegram comemora 6 anos trazendo funções exclusivas

Telegram comemora 6 anos trazendo funções exclusivas