Metaverso: investindo no futuro

O marketing faz do metaverso um negócio promissor

Redação SempreUpdate
4 minutos de leitura

O metaverso ainda parece bem distante, pelo menos do ponto de vista do que foi prometido por empresas como a Meta, por exemplo. No entanto, de forma geral, os metaversos que estão surgindo, mediados por outras empresas, estão ganhando bastante espaço no mercado. A verdade é que investindo no metaverso, as empresas estão investindo no futuro.

No ano passado, empresas de capital de risco juntaram US$ 57 bilhões (cerca de R$ 295,5 bi) em participações, mas esse valor já foi superado pelos US$ 120 bilhões (cerca de 622,2 bi) registrados este ano, de acordo com um relatório da McKinsey.

No entanto, a realidade computadorizada continua sendo um mistério que muitas empresas desejam desvendar e comercializar. As coisas parecem mais um jogo slot gacor, onde as coisas parecem incertas.

O metaverso

O metaverso simboliza uma nova maneira de indivíduos e empresas interagirem com a tecnologia. Os usos dessa nova tecnologia vai desde jogos virtuais, até a reabilitação de pacientes, moda digital e muito mais.

O marketing pode ser um dos melhores caminhos para inserir levar o metaverso a outro nível. Investir uma quantia considerável do orçamento de marketing de uma organização para esforços metaversos vem sendo considerado por algumas organizações.

Polêmico e crescente

O metaverso parece dividir muitos especialistas. A explicação de Mark Zuckerberg em 2021 o descreveu como o próximo estágio da tecnologia em que “você está na experiência, não apenas olhando para ela”. No entanto, os entrevistados de um estudo da PEW Research de 2022 consideram o metaverso como a colheita do hype de marketing.

As opiniões divergentes sobre o que é e deveria ser o metaverso não impediram seu crescimento. Assim como existem opiniões diferentes sobre as capacidades do metaverso, os participantes da indústria também revelaram propósitos variados para ele. E embora optar por criar ambientes virtuais ou permitir a colaboração em equipe usando uma comunidade digital sejam dois caminhos interessantes, cada marca deve esperar algo desse mundo virtual, inclusive empresas com foco em jogos ou slot online.

Algumas marcas podem aproveitar o universo artificial para aumentar o engajamento dos funcionários. A colaboração no local de trabalho pode aumentar a produtividade, aumentar a taxa de resolução de problemas e reduzir a carga de trabalho.

Uma excelente maneira de manter a equipe satisfeita é integrar a tecnologia orientada ao metaverso no escritório.

No ano passado, a Microsoft anunciou o Mesh, um recurso do Teams que combina os modos existentes “Together” e “Presenter” para tornar as reuniões remotas mais imersivas. Espera-se que outras empresas como Google, Slack e Zoom lancem serviços semelhantes no próximo ano.

O metaverso precisa ir além do marketing

Além de excelentes vantagens e incrível potencial de mercado, é inteligente questionar se vale a pena investir na realização de um mundo virtual. Apesar da recessão econômica dos últimos meses, as corporações investiram bilhões de dólares nesse empreendimento.

No entanto, não basta apenas investir em marketing, é preciso direção nas ações propostas para o metaverso. Além de colaborar com agências criativas para projetos metaversos de longo prazo, as empresas também devem definir metas realistas e estar abertas a iterações consistentes, nada de jogos Judi slot nesse processo.

Uma das desvantagens de experimentar uma realidade simulada é que ela está evoluindo, o que significa que nada é certo e que é necessária inovação frequente. Talvez seja por isso que as organizações que buscam assumir a liderança no metaverso devem agora considerar oficializar membros para gerir esse processo de transição para um mundo interiamente virtual.

Share This Article
Os artigos vinculados à este usuário são de terceiros. A informação aqui contida não foi elaborada originalmente por nós do SempreUpdate. Mas, publicamos conforme solicitação, envio ou recomendações do próprio autor, assessoria e outros departamentos comerciais ou não comerciais.