Depois de obter a aprovação da União Europeia há uma semana, hoje (26/10) a Microsoft confirmou a aquisição do GitHub, o serviço de colaboração e compartilhamento de código baseado em Git. São 31 milhões de desenvolvedores. O anúncio oficial da aquisição está aqui. O gigante de software de Redmond, WA, disse que iria adquirir o GitHub por US $ 7,5 bilhões em ações em junho deste ano. A Microsoft garantiu que após a aquisição ser fechada, continuaria a administrar o GitHub como uma plataforma e negócios independentes. Portanto, a Microsoft oficializa aquisição do GitHub.

Apoio aos desenvolvedores

Comissão Europeia aprova a compra do Github pela Microsoft

A aquisição é mais um sinal de como a Microsoft empenha-se em cortejar os desenvolvedores e se apresentar como um parceiro neutro para ajudá-los nos projetos.

Isso porque, apesar de seu próprio negócio de software proprietário ser lucrativo, a Microsoft também tem várias outras empresas – por exemplo, o Azure, que concorre com a AWS e o Google Cloud. Todas dependem muito da imparcialidade em relação a uma plataforma ou outra. E com a aquisição do GitHub, a Microsoft espera dar mais um sinal nesta direção.

Equipe mantida

Satya Nadella sentada e posando com três pessoas, incluindo o CEO da GitHub

Como anunciado anteriormente, Nat Friedman, que havia sido CEO da Xamarin (outra startup focada no desenvolvedor adquirida pela Microsoft , em 2016), será CEO da empresa. O fundador e ex-CEO da GitHub , Chris Wanstrath, se tornará um técnico da Microsoft e vai trabalhar em iniciativas estratégicas de software. (Wanstrath voltou ao cargo de CEO depois que seu co-fundador, Tom Preston-Werner, renunciou após uma investigação de assédio em 2014.)

Friedman, em uma nota curta, disse que assumirá o cargo na segunda-feira. Ele também repetiu o que a Microsoft disse no momento do acordo: o GitHub será administrado como uma plataforma e negócios independentes.

Esse é um ponto-chave, pois houve muita repercussão dos desenvolvedores sobre o negócio. Muitos questionaram se o GitHub se tornaria parcial ou mais focado em projetos ou produtos baseados na Microsoft.

Sempre apoiaremos os desenvolvedores na escolha de qualquer idioma, licença, ferramenta, plataforma ou nuvem”, ele escreve, observando que haverá mais ferramentas por vir. “Continuaremos a construir ferramentas de bom gosto, rápidas e polidas que os desenvolvedores adoram”, acrescentou ele.

Novo fórum

Ele destacou o desenvolvimento e investimento em Paper Cuts. Este é um projeto lançado em agosto. Ele espera resolver algumas das queixas que desenvolvedores podem ter com o GitHub. A ideia é ajudar a lidar com atualizações de produtos maiores. Assim, o GitHub pode encontrar soluções alternativas. Além disso, deve ser disponibilizado um fórum de feedback para ajudar a descobrir o que deve ser atualizado.

Impedir migração

Portanto, a necessidade de permanecer neutro não é apenas manter seus 31 milhões de desenvolvedores. Houve aumento de 3 milhões desde que o acordo foi anunciado. O objetivo principal é impedir a migração em massa para os concorrentes do GitHub, que incluem GitLab e Bitbucket.

Fonte

Claylson
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Denúncias de assédio sexual provocam 48 demissões no Google

Previous article

Nova falha de escalada de privilégio afeta a maioria das distribuições Linux

Next article

You may also like

More in Notícias