in

Microsoft prejudica desenvolvedores e acaba com serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespaces

Os desenvolvedores que usam Codespaces do Visual Studio precisarão migrar para os Codespaces do GitHub, mas não há como migrar projetos existentes de um serviço para outro.

Microsoft prejudica desenvolvedores e acaba com serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespaces

Uma péssima notícia para quem é desenvolvedor e usa o serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespaces da Microsoft. A empresa decidiu encerrar o recurso, a versão reformulada do Visual Studio Online. Em vez disso irá mesclá-lo com a versão do GitHub no mesmo produto. Porém, surge um problema dos grandes nesta hora. Simplesmente não há como migrar projetos existentes de um serviço para outro.

O Visual Studio Codespaces visa tornar os desenvolvedores mais produtivos criando um ambiente de desenvolvimento totalmente configurado em minutos. O anúncio de que o Visual Studio Codespaces será “consolidado” no GitHub Codespaces não é uma surpresa, dada a duplicação entre os dois.

A Microsoft anunciou o produto rebatizado em maio na Build 2020 ao lado do novo Codespaces do GitHub, que por si só é uma versão do VS Codespaces. Ambos os produtos são versões on-line do Visual Studio e do Visual Studio Code (VS Code).

Microsoft prejudica desenvolvedores e acaba com serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespaces

Microsoft prejudica desenvolvedores e acaba com serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespaces

De acordo com a Microsoft, a decisão de mover o Visual Studio Codespaces para o GitHub foi para reduzir a confusão entre os dois produtos quase idênticos.  

“Depois que a experiência nativa do GitHub foi lançada, começamos a ouvir que as duas experiências distintas estavam causando confusão entre nossos usuários”, explica Allison Buchholtz-Au, gerente de programa do Visual Studio Online.

Acreditamos que, consolidando as experiências atuais do Codespaces em uma, podemos eliminar a confusão, simplificar a experiência para todos e fazer um progresso mais rápido para atender aos comentários dos clientes.

Prazo e preços

Microsoft prejudica desenvolvedores e acaba com serviço baseado em nuvem Visual Studio Codespacesual studio

A mudança significa que os usuários do Visual Studio Codespaces precisarão mudar para o GitHub Codespaces até fevereiro de 2021, quando a oferta do Visual Studio Codespaces no Azure terminará.

O que ainda não está claro é o preço do GitHub Codespaces, que atualmente está em uma versão beta privada. Em maio, junto com a mudança de marca do Visual Studio Online, a Microsoft reduziu o preço do VS Codespaces na nuvem Microsoft Azure.

A Microsoft cortou os preços das instâncias para Codespaces do Visual Studio no Azure em mais da metade. Por exemplo, a camada Básica com dois núcleos e 4 GB de RAM caiu para 0,08 por hora, enquanto a oferta padrão com quatro núcleos e 8 GB de RAM em uma instância do Linuxbaixou de cerca de 0,45 por hora para 0,17 por hora . A camada premium com oito núcleos e 16 GB de RAM reduziu de 0,87 para 0,34.

Não se conhecem os preços dos Codespaces do GitHub e não há menção ao Azure.

Migração começou

Buchholtz-Au da Microsoft observa que, desde 4 de setembro, os usuários atuais do Visual Studio Codespaces podem começar a transição para o beta privado do GutHub. Em 20 de novembro, a Microsoft impedirá que os usuários criem novos planos Codespaces do Visual Studio, embora os existentes continuem ativos. Nesse ponto, os novos usuários só poderão se inscrever no Codespaces no GitHub.

A data limite final chega em 17 de fevereiro de 2021, quando a Microsoft fechará o portal Codespaces do Visual Studio. A partir de então, haverá a exclusão de “todos os planos e espaços de código restantes no serviço”.

Quanto aos preços dos Codespaces do GitHub, a Microsoft explica em um documento de perguntas frequentes que fornecerá detalhes ainda este ano, quando os Codespaces do GitHub atingirem a disponibilidade.

As opções de hospedagem ainda não existem para desenvolvedores que usaram Codespaces do Visual Studio com rivais do GitHub, como GitLab e BitBucket.