in

Mozilla Firefox quer oferecer novo modelo de internet

A intenção é reformular encontrar um equilíbrio entre aa publicidade e a necessidade de manutenção dos sites.

Um dilema se estabeleceu. A grande maioria dos usuários tenta evitar formatos de publicidade intrusiva por um lado. Por outro, algumas empresas querem vetar o uso de bloqueadores de anúncios para os seus serviços. Da mesma forma, o Spotify, que atualizou em fevereiro seus Termos de Serviço e anunciou que vai banir quem usar esses bloqueadores em sua versão grátis. Estima-se que quase 2 milhões de usuários (cerca de 2% dos usuários gratuitos) estavam fazendo uso de contas modificadas ou aplicativos de bloqueio de anúncios. Assim, agora a Mozilla acaba de entrar para o debate. E propõe um novo modelo de Internet.

Qual seria esse novo modelo?

Mozilla Firefox quer oferecer novo modelo de internet

E a empresa conhecida navegador Firefox anunciou recentemente a sua nova parceria com Scroll, um serviço de assinatura que promete acesso a todos os sites de notícias, sem publicidade, em troca de uma taxa mensal.

O serviço já tem alguns nomes importantes entre os meios de comunicação, como o Buzzfeed, Gizmodo Media Group ou Vox Media, adicionando ao aplicativo de notícias Nuzzel no início deste mês.

Ainda na primeira fase do projeto, detalhes sobre como vai funcionar exatamente essa aliança entre Scroll e Mozilla ainda não são totalmente claras. No entanto, o VentureBeat diz que em breve um pequeno grupo de usuários selecionados do Firefox serão convidados aleatoriamente para testar a versão desta navegação sem publicidade.

Mozilla busca equilíbrio entre mídia e consumidores

Sem dúvida, os usuários preferem esse modelo sem anúncios, porém como exatamente isso afeta a mídia e os sites?

Atualmente, muitos sites são sustentados em um modelo de conteúdo gratuito, como é o caso do SempreUPdate, usando apenas um determinado número de banners. Outros fazem uso de artigos patrocinados ou acordos comerciais com algumas marcas. No entanto, alguns sites abusam com conteúdo invasivo, como áudio ativado sem permissão ou a abertura de novas páginas web sem o consentimento do visitante. Muitas vezes, a publicidade é a única forma de garantir a manutenção do conteúdo e do próprio site.

Site de pagamento

Portanto, o fato de mudar o uso atual dos bloqueadores de anúncios por esse novo sistema de bloqueio poderia ser um ponto intermediário e benéfico para ambas as partes. Ou pelo menos é isso que esperamos.

Um dos principais objetivos dessa aliança é tentar criar um modelo web que coloque os usuários em primeiro lugar, sem comprometer o financiamento do jornalismo.

trabalharemos juntos para entender as atitudes e interesses dos consumidores em torno de modelos de financiamento alternativo e experiências sem publicidade “, dizem os representantes da Scroll.

Algo que faz sentido para selecionar Mozilla e Firefox, uma vez que eles estão acostumados a lidar diretamente com as grandes quantidades de informação e entrega dos anúncios diretamente aos consumidores. Além disso, a Mozilla tomou uma posição para facilitar o bloqueio e acompanhamento de anúncios.

Do mesmo modo, essa pode ser uma nova oportunidade para o navegador Mozilla recuperar parte do mercado e os usuários que perdeu para o Chrome, agregando valor ao seu navegador. Já no ano passado, o Firefox lançou uma extensão destinada a recomendar conteúdo aos usuários de acordo com sua atividade de navegação.

No momento nenhum detalhe foi anunciado sobre quando será o lançamento deste serviço de assinatura ou as possíveis tarifas.

A partir dessas discussões iniciais, mudamos para uma colaboração mais formal, em que vamos trabalhar juntos para entender as atitudes e o interesse dos consumidores em relação a modelos de financiamento alternativos e experiências sem anúncios orientadas para o consumidor.

São os primeiros dias para esta parceria, mas queremos ser transparentes desde o início e estamos extremamente entusiasmados com o que poderíamos aprender à medida que buscamos um melhor ecossistema da Web juntos, finaliza o anúncio.

Fonte