in

Netflix quer acabar com JPEGs

Gigante de streaming acredita que AVIF é o substituto perfeito para JPEG.

Netflix quer acabar com JPEGs

A Netflix pode ser muito mais conhecida por seu serviço de streaming de vídeo. Porém, a empresa também lida com muitas imagens e, por isso, lançou uma atualização para um novo formato de arquivo de imagem chamado AVIF (AV1 Image File Format), que acredita poder substituir os JPEGs. Portanto, a Netflix quer acabar com JPEGs, que por sua vez está com os dias contados.

Com pés e mãos no código aberto, Netflix quer acabar com JPEGs

Netflix quer acabar com JPEGs

A gigante do streaming de vídeo chegou a abrir o framework AVIF de código aberto para permitir que outros o comparem aos codecs de imagem existentes em termos de desempenho e eficiência de compactação.

Nos últimos dois anos, a Netflix desenvolveu o AVIF sob a Alliance for Open Media, ao lado do Google, Microsoft, Facebook, Mozilla e outros.

No entanto, ao mesmo tempo, os fabricantes da especificação JPEG, que já tem 27 anos, o Joint Photographic Experts Group, desenvolveram uma nova especificação JPEG chamada JPEG XL.

Competição crescente

Além do JPEG XL, o AVIF também está competindo com o formato WebP que está sendo desenvolvido pelo Google e atualmente é compatível com Android, Firefox, Microsoft Edge e Google Chrome.

No entanto, o WebP não é perfeito e os engenheiros da Netflix observam em um post que não têm a flexibilidade do formato JPEG 2000, mas suportam codificação sem perdas, bem como um canal alfa sem perdas, o que a torna mais eficiente e uma alternativa mais rápida a PNG em alguns casos.

O concorrente final da AVIF é o High-Efficiency Video Coding ou HVEC e é um sucessor do H.264 ou Advanced Video Coding e é suportado no iOS e no macOS.

De acordo com a Netflix, o AVIF pode fornecer eficiência de compactação superior quando comparado a outros formatos de arquivo de imagem. Porém, o AVIF ainda está em um estágio inicial de desenvolvimento. A Alliance for Open Media está desenvolvendo a biblioteca de código aberto libavif. Ela serve para codificar e decodificar imagens AVIF, o que deve ajudar a estimular a adoção do novo formato de arquivo de imagem.

JPEG2000

O padrão tenha agora duas décadas e ainda não derruba o padrão de imagem JPEG em popularidade. No entanto, há um interesse renovado no JPEG2000 com o High Throughput JPEG 2000 (HTJ2K) e, finalmente, obtendo um suporte aprimorado ao software. Aaron Boxer, da Collabora, acha que o JPEG2000 poderia finalmente estar se tornando popular.

Além de não haver mais risco conhecido de patente/legal em torno do JPEG 2000, em 2018 foi anunciado o trabalho High Throughput JPEG 2000 (HTJ2K) que possui todos os recursos do JPEG 2000, mas é muito mais rápido e ainda mais eficiente do que os JPEGs tradicionais. Aqueles que desejam aprender mais sobre o High Throughput JPEG 2000 podem fazê-lo através do HTJ2K.com e deste whitepaper.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Anúncio pede que chamem a polícia se virem alguém usando Kali Linux

Anúncio pede que chamem a polícia se virem alguém usando Kali Linux

Finalmente existe uma maneira de remover o xHelper, o malware irremovível do Android

Finalmente existe uma maneira de remover o xHelper, o malware irremovível do Android