o-linux-precisa-de-antivirus

Quando falamos em vírus para Linux, logo lembramos de todos os problemas que um usuário do Windows passa e pode passar, mas o fato é que sempre lemos em nossos canais de mídia perguntas como a de que o Linux precisa de um antivírus, pensando nisso resolvi escrever um pouco sobre esse questionamento.

Um sistema como o Windows sem um bom antivírus realmente é muito perigoso tendo em vista a imensidão de Malwares que existem para ele, mas já adiantando a resposta, não é necessário ter um antivírus no Linux e agora vamos para alguma explicações bem resumidas.

O que é um Malware?

Primeiro é importante entender o que é um Malware, e aí você vai entender as razões pelas quais não é necessário ter um antivírus no Linux. Qualquer Malware é considerado um software (as classes e nomenclaturas são muitas), e todos eles estão relacionados com um sistema operacional ao qual é o foco, por isso, será raro os casos em que um Malware do Windows funcione no Linux, ou o contrário, a menos que haja o Wine instalado no Linux, mas isso já é uma outra história. Caso prefira confira este artigo sobre o que é um Malware.

É possível criar um Malware para Linux?

Com toda certeza, é possível. No ano de 2005 de acordo com a Kaspersky Labs o número de Malwares dobrou de 422 para 863. No mesmo período de 6 meses, a Kaspersky descobriu 11.000 novos Malwares para o Windows, e detalhe, somando a todos os anteriores já existentes. A Symantec diz que há cerca de 24 milhões novos Malwares para Windows e olhe que isso foi a quase 3 anos por volta do final de 2015. Claro, há uma lógica para esse grande número, por um longo tempo o Windows será o sistema popular em PC’s, e se um cracker quer atingir um grande número de pessoas, é natural que ele opte pelo sistema que possui mais usuários, neste caso, o Windows.

Linux é mais seguro contra Malwares?

Sim, é mais seguro devido a alguns aspectos. Primeiro precisamos entender que ainda não houve uma epidemia de Malwares que afetassem o Linux em larga escala. Um dos fatores que mais influenciam nessa contaminação é a forma como instalamos softwares, no Windows geralmente fazemos downloads da internet e obviamente instalamos em no Windows, no Linux temos os repositórios oficiais que garantem a segurança dos softwares que ali estão, logo não vamos precisar de uma frequência alta de softwares que estão fora dos repositórios.

Sabemos que existem repositórios comunitários, mas as distribuições sempre alerta aos seus usuários para usar com cautela, já que os repositórios oficiais passam por verificação de segurança. Não usamos softwares crackeados, e na maioria das vezes estes software vem com um brinde, um Malware que nem sempre é detectado pelo antivírus. No Linux é raro alguns software serem pagos, a grande maioria é gratuito.

No Linux ninguém é ROOT em todos os logins!

Fazer login no sistema com usuário ROOT é um problema, no Windows a maioria dos usuários usam uma conta para entrar no sistema com privilégios de administrador, e aí é o pulo do gato, durante o uso desta conta na internet via navegadores ou leitores de e-mails, é fato que há um risco de infecção por algum malware, o que já não ocorre no Linux, pois para acessarmos o ROOT é preciso digitar uma senha e o nosso usuário só consegue fazer alterações também digitando uma senha.

Usuários Linux possuem conhecimento mínimo sobre o sistema

A maioria dos usuários Linux possuem um conhecimento mínimo sobre o sistema e também algumas questões de segurança, a mesma situação não ocorre com o Windows, onde muita gente usa o sistema na maioria das vezes sem saber de nada sobre a segurança do S.O. Afinal de contas nenhuma usuário do Linux instalou ele por engano, se o fez é porque sabe o que quer e as razões para isso.

Mas, comente, você acha que o Linux ainda precisa de antivírus?

KaOS lançado com KDE Plama 5.13

Previous article

Conheça o SMPlayer versão 18.6.0.

Next article

You may also like

More in Artigo