Para Mark Shuttleworth, compra da Red Hat é uma boa notícia para o Ubuntu

Quer saber o que Mark Shuttleworth acha da  IBM comprar a Red Hat ? Bem, o fundador do Ubuntu compartilhou seus pensamentos sobre a compra que movimentou o mundo do software livre nos últimos dias. Então, para Mark Shuttleworth, compra da Red Hat é uma boa notícia para o Ubuntu.

Momento importante

Para ele, a compra feita pela IBM foi um “momento significativo na progressão do código aberto para o mainstream”.

E com razão: houve um tempo em que o código aberto era visto como a opção distante. Agora, graças a empresas como Red Hat e Canonical, é uma opção concreta.

Do mesmo modo, Shuttleworth está se sentindo otimista em relação à posição do Ubuntu como rival da Red Hat. Particularmente, na área de  computação em nuvem (o principal motivador do mercado por trás da compra de US $ 34 bilhões da IBM).

A aquisição da Red Hat pela IBM é um momento significativo na progressão do código aberto para o mainstream. Saudamos a Red Hat pelo papel que desempenhou no enquadramento do código aberto como um substituto familiar para o UNIX tradicional em termos de ‘Wintel’. Nesse sentido, o RHEL foi um passo crucial no movimento de código aberto.

Declínio do setor?

Ele destacou que o trabalho de nuvem pública realizado pela Red Hat Enterprise Linux. Além disso, a questão dos contêineres. Contudo, Mark alerta para um possível declínio neste setor.

“O declínio no crescimento do RHEL, contrastado com a aceleração no Linux, é um forte indicador de mercado da próxima onda de código aberto”,  escreve Mark .

Para o comandante da Canonical, é preciso movimentar-se “na velocidade dos desenvolvedores” e “abraçar o código aberto de formas que levaram as maiores empresas do mundo, as startups mais velozes do mundo, e aqueles que acreditam que segurança e velocidade são melhor resolvidas juntas, para o Ubuntu.”

Impulso forte no Ubuntu

Shuttleworth diz que há um “impulso acelerado” por trás do Ubuntu dentro do espaço corporativo. Segundo ele, isso acontece em todas as áreas, da IoT, nuvem pública e Kubernetes ao aprendizado de máquina e AI. Portanto, são estes os setores que IBM e Red Hat esperam combinar. Então, a expectativa é  abrir mais participação no mercado.

Igualmente, Mark diz que as empresas não estão apenas usando o Ubuntu. Além disso, elas estão escolhendo o Ubuntu. Portanto, esta seria uma confiança que não será derrubada pelo acordo da IBM:

Estamos convencidos que o Ubuntu é considerado o veículo mais seguro, mais econômico e mais fiel do mundo para iniciativas de código aberto. Estamos ansiosos para ajudar [as empresas…] a entregar a inovação da qual depende seu crescimento futuro.

Em resumo, ele acredita que o Ubuntu ainda tem muito a oferecer. Deste modo, se coloca como um forte concorrente à nova IBM/Red Hat.

Claylson
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Último Steam Play Proton Beta da Valve oferece correções importantes

Previous article

Novo Linux Mint reformulado sai até o Natal

Next article

You may also like

More in Notícias