in

Putin assina a lei russa da Internet para desconectar a Rússia da Internet

A notícia foi divulgada e o mundo aguarda os próximos capítulos desta novela!

A informação foi divulgada pela agência de notícias russa TASS. A machete diz o seguinte:

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou a lei que prevê a operação estável da Internet russa (Runet) caso ela seja desconectada da infra-estrutura global da rede mundial de computadores.

Se isso for adiante, e que de fato funcione, o governo teria que lidar com todo tipo de ameça possível nesta nova modalidade de internet. Por um lado, especialistas dizem que será mais fácil ter controle sobre os usuários mal intencionados que queiram de alguma maneira prejudicar a estabilidade da operação.

Essa operação, visa beneficiar especialmente os serviços públicos da Russia. Na prática, todos os provedores de internet russos, sem exceção, seriam obrigados a não ter contato nenhum com o mundo externo da Internet, ou seja, World Wide Web.

Mas, ainda é necessário a aprovação do parlamento. Ao mesmo tempo, o regulador de mídias russo e as principais empresas de tecnologia do país apoiam efetivamente a medida. Nos bastidores, muitos dizem que essa medida não vai muito longe e que se o motivo real deste “desligamento”, for apenas para proteção de dados, e controle da Internet, ambos são impossíveis de garantir em sua totalidade, que é o que acredita o governo.

A lei assinada pelo presidente, possui como foco maior o controle absoluto de todo o tráfego da internet, incluindo os servidores. Vale lembrar que em 2014, o Moscow Times revelou que testes secretos estavam sendo feitos em torno desta mesma separação, no entanto, tudo voltou a fica online como antes em menos de 30 minutos.

Via TASS

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

AMD confirma lançamento da GPU Navi no terceiro trimestre de 2019